segunda-feira, 3 de dezembro de 2012


. .
10 suplementos que melhoram a inteligência



O site io9 publicou recentemente uma lista de compostos que podem dar uma forcinha ao seu cérebro para melhor a memória, aprendizado, humor, enfim ... São os “nootrópicos”, compostos que aumentam o desempenho cognitivo do ser humano.
Os avanços da Biotecnologia poderão fazer esse papel, mas porquê esperar se temos a chance de aprimorar nosso desempenho agora?
É importante, sobretudo, verificar possíveis alergias antes de consumi-los, e observar as doses recomendadas, e para isso um médico deve ser consultado, além de que, é importante ficar atento aos efeitos que eles provocam, para descobrir qual se adequa mais ao seu organismo.

A creatina, um ácido orgânico nitrogenoso encontrado em animais, é um suplemento popular por ajudar a aumentar a força dos músculos. Mas ele também pode ajudar o cérebro – ele melhora a memória e a atenção. Dizem os cientistas que ele é importante na homeostase enérgica do cérebro, pois potencializa espaços citosólicos e mitocondriais de energia celular.
É possível começar com uma dose de 5.000 mg por dia ou até mais, de acordo com a dosagem especificada pelo produto fabricante ou seu médico.

A cafeína sozinha não é um grande nootrópico. Os estudos mostram que ela nem sempre melhora o aprendizado e a memória, apesar de suas propriedades estimulantes ajudarem o desempenho cognitivo e o humor, ainda que temporariamente e acompanhado por nervosismo. Se consumida com a L-teanina, um aminoácido encontrado no chá verde, a cafeína cria efeitos duradouros na memória, no processamento rápido de informações visuais e na troca de atenção (redução da distração).
A teanina consegue cruzar a barreira sangue-cérebro e anular os efeitos negativos da cafeína. É possível atingir o efeito com 50mg de cafeína (mais ou menos o que uma xícara de café contém) e 100mg de L-teanina (só o chá verde tem de 5 a 8 mg, então é melhor buscar por suplementos, apesar de que algumas pessoas usam uma proporção de 2 xícaras de chá verde para uma xícara de café.

O chocolate amargo ou o cacau encontrado nele contém flavanóides, que são fitoquímicos com efeitos de aprimoramento cognitivo, melhorando o humor e a saúde cardiovascular.
Ele trabalha como moléculas antioxidantes, que estimulam a perfusão do cérebro e vários outros processos neurológicos em regiões do cérebro responsáveis pelo aprendizado e pela memória. Ele não é tão poderoso quando os seus companheiros de lista, mas o chocolate amargo é fácil de ser obtido e muito bom de ser consumido.

Esta dupla está entre as mais populares. Piracetam, também conhecido como nootropil e lucetam, melhora o funcionamento dos transmissores (acetilcolina) e receptores. Eles são receitados por médicos para pessoas que sofrem de distúrbios mentais como mal de Alzheimer, depressão e esquizofrenia.
Muitos adultos usam a substância para aumentar o desempenho da acetilcolina, que ajuda na clareza mental, memória espacial e no funcionamento do cérebro. Mas a substância só faz efeito se consumida com a colina, um nutriente hidrossolúvel essencial que é sempre usado para prevenir dores de cabeça comumente associadas ao uso do piracetam.

Esses ácidos são um composto comum encontrado em óleo de peixe (facilmente consumível por pílulas de óleo desses animais), gado, nozes, sementes de linhaça e feijões. É um nootrópico básico que já é usado há um bom tempo, sendo indicado como um suplemento dietético para evitar efeitos do declínio cognitivo relacionado à idade, incluindo doenças neurodegenerativas.
Um estudo publicado na Biblioteca Pública de Ciência (PLOS, na sigla em inglês) revelou ainda que adultos perfeitamente sadios também podem ter os mesmos efeitos benéficos, que incluem habilidade melhorada para o foco e aprimoramento do humor.

Esta erva perene e rastejante é encontrada principalmente no norte da Índia e há séculos é usada para aumentar a memória, o aprendizado e o desempenho cognitivo, além de ser útil como anti-inflamatório, analgésico, antipirético e sedativo.
O sulfidrilo e um polifenol, dois ingredientes ativos da erva, são os responsáveis pelos efeitos ao diminuírem o stress oxidativo. Uma boa dose é de cerca de 150mg ao dia, que podem ser combinados à dupla piracetam e colina, para um efeito potencializador na memória de longo prazo.

Este extrato vem das ginkgo bilobas, árvores únicas da China sem parente próximas, o que faz delas verdadeiros fósseis vivos. O extrato em questão contém glicosídeos flavonoides e terpenoides que causam benefícios farmacológicos como aprimoramentos da memória e da concentração, aumentando a atenção, memorização mais rápida e melhora da qualidade da memória, porém estudos ainda estão sendo realizados para confirmar tais benefícios.
O extrato vem sendo usado para ajudar pacientes com demência, ainda que sua habilidade para evitar o Alzheimer seja questionada. Mesmo assim, há estudos que comprovam que ele melhora o fator da velocidade de atenção em adultos sadios, tendo seu pico após 2 horas e meia do consumo.

Essa planta é extremamente tradicional na medicina chinesa: há registros de seu uso há milhares de anos, e não é por menos: ele tem efeitos muito diversos. Melhora o funcionamento da memória, da atenção, acalma, estimula o humor e até reduz a fadiga.
Esta planta cresce lentamente e tem raízes carnudas que podem ser usadas para diminuir os níveis de glicose sanguínea e modular o desempenho cognitivo em adultos sadios. A dose recomendada é de 500 mg ao dia.

Esta planta do gênero Rhodiola tem utilidade para a cognição e a memória, mas seu principal uso é para reduzir a fatiga e a ansiedade, o que melhora o seu desempenho no geral.
A planta vive em lugares gelados, incluindo as áreas árticas. Por isso, os povos que mais se beneficiam de suas propriedades fitoquímicas são os russos e os escandinavos. A erva afeta os níveis de serotonina e dopamina por que ela age como um inibidor da monoamina oxidase. 
Esta planta é encontrada (óbvio) na Espanha e também no sul da França. É uma erva aromática que potencializa a ação da acetitolina. Segundo estudos, ela potencializa a memória e o humor em jovens adultos sadios, e traz benefícios para portadores do mal de Alzheimer.
Sabe-se que ela também tem efeitos calmantes, antioxidante, estrogênicos, antidepressivos e anti-inflamatórios. 

É claro que não dá para virar um Einstein de um dia para o outro, mas qualquer ajudinha (quando saudável) é bem-vinda!




0 comentaram

0 comentários :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...