quinta-feira, 30 de novembro de 2017


. .
Alunos fazem fotos para conscientizar sobre o câncer de próstata l Biomédicos em Ação

Mais uma vez, os alunos do estágio do curso de Biomedicina da Universidade Paulista – UNIP, de Jundiá, interior de São Paulo, vieram aqui para o blog! O pedido foi em dose dupla, da Gabriela Fantini é aula do último ano e supervisor do estágio, a biomédica Neu Rocha. E assim como o “outubro rosa”, a conscientização da prevenção do câncer de próstata é muito importante! Os alunos fizeram fotos sobre o tema, e claro, estão aqui no Biomedicina em Ação!








0 comentaram

sexta-feira, 10 de novembro de 2017


. .
Entrevista: Mayara Montani Reis - Microbiologia de Alimentos


1. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Mayara, onde você cursou Biomedicina? Quando se formou?

Mayara: Me formei em 2011, no Centro Universitário Lusíada – UNILUS em Santos/SP.

2. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Como começou a paixão pela Biomedicina e o que mais lhe chamou atenção no curso?

Mayara: Meu interesse na biomedicina surgiu com a ideia de atuar em pesquisa, por isso, logo no primeiro ano de faculdade iniciei minha iniciação científica na UNIFESP. Após dois anos de pesquisa na área de hepatologia desisti de continuar, pois a IC estava me conduzindo para a área acadêmica, mas não era isso que eu queria na época. Decidi que eu precisava adquirir experiência, então comecei a procurar, e consegui um estágio em análises clínicas. Depois do estágio eu pude ter certeza que não queria trabalhar em hospitais e que eu precisava sair da minha zona de conforto para obter sucesso, diferencial e etc. Foi assim que surgiu a Micro de Alimentos.

3. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Quais características você acredita serem essenciais para um bom biomédico?

Mayara: O biomédico deve gostar do que faz, se adaptar a rotina, ser capaz de trabalhar com uma equipe pequena ou sozinho. A profissão não é muito valorizada, principalmente financeiramente, por isso, é essencial que o profissional busque diferenciação e ame o que faz.

4. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Você é pós-graduada em Microbiologia de Alimentos e Gestão da Segurança de Alimentos. Como e quando se interessou pela área? Onde fez sua especialização?

Mayara: Eu comecei a me interessar por essa área no último ano de faculdade, nas aulas de Bromatologia. Mas como não é o foco do curso, precisei procurar uma formação complementar e me especializar na área. Fiz minha especialização em São Paulo, na SBM – Sociedade Brasileira de Microbiologia. No final das contas foi a melhor coisa que eu fiz, me capacitei e hoje atuo em um segmento incomum e promissor para o biomédico.

5. BIOMEDICINA EM AÇÃO: A maioria dos biomédicos que se formam, atuam em análises clínicas. O que você acha desse grande leque de oportunidades além do laboratório clínico, e quais dificuldades você encontrou para se inserir nesse mercado?

Mayara: Eu acho que existem muitas possibilidades além da área de análises clínicas, mas é essencial que o profissional escolha a área de atuação considerando vários aspectos, como paixão, identificação, retorno financeiro e crescimento profissional. Também é importante considerar a empresa, pois o desenvolvimento e reconhecimento profissional dependem e variam muito de empresa para empresa. Não encontrei muitas dificuldades para me inserir nesse mercado, acredito que oportunidades surgem para quem acredita e corre atrás.

6. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Quais atribuições o biomédico deve ter para seguir a área de Microbiologia de Alimentos?

Mayara: Para atuar nessa área é necessário procurar um estágio durante a faculdade ou um curso de especialização.

7. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Onde o biomédico habilitado em Microbiologia e Alimentos pode atuar?

Mayara: Esse profissional pode atuar em laboratório de análise, em empresas, fábricas e consultorias na área.

8. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Como está o mercado para o biomédico nesta área e com quais outros profissionais de trabalha?

Mayara: O campo é limitado, como em diversas outras áreas, por isso é essencial ter, além de um bom currículo, experiência (estágios, trainees). Nessa área trabalhamos e concorremos com biólogos, nutricionistas, farmacêuticos, técnicos em alimentos ou nutrição, engenheiros de alimentos, entre outros.

9. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Dizem que a Biomedicina é a profissão do futuro. O que você acha disso? Mudaria alguma coisa para melhorar a nossa área?

Mayara: Acredito que sim, mas a biomedicina precisa ser mais valorizada pelo mercado e melhor explorada pelo próprio profissional. Se nos especializarmos, podemos atuar em diversas frentes e dominar o mundo. Brincadeiras a parte, o Biomédico não é capacitado somente em análises clínicas, ele precisa focar em habilitações que possibilitem ser um diferencial, que sejam inovadora e tragam o retorno esperado.

10. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Qual a sua dica para quem está começando na Biomedicina?

Mayara: O Biomédico tem uma ampla área de atuação (https://crbm1.gov.br/habilitacao). Minha dica é buscar uma área diferenciada e investir nela.


PERGUNTA DO LEITOR Felipe Trisotto: O biomédico bromatologista pode atuar no desenvolvimento e análises bromatológicas em nutrição animal?

Mayara: Pode, mas isso pode variar entre as empresas.

Considerações finais:
Gostaria de agradecer a oportunidade de escrever no blog. Minha intenção é compartilhar conhecimento e minha experiência na área de alimentos. Quero também me colocar à disposição para esclarecer dúvidas e questionamentos.
Obrigada!

Mayara Reis
0 comentaram

quinta-feira, 9 de novembro de 2017


. .
Concurso Público l Vaga para Biomédico l APTA CPRTI 02/2017


Estão abertas inscrições para o Concurso Público da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), APTA – SP l Edital 002/2017, vinculada à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, para pesquisador científico nível I. Serão 33 vagas para áreas como agronomia, zootecnia, medicina veterinária, e (estamos muito felizes por isso) biomédicos.
As inscrições poderão ser feitas até 7 de dezembro de 2017, das 10h às 16h (exceto sábado, domingos e feriados) em Campinas e em São Paulo. A taxa de inscrição é de R$ 87,73 e o salário é de R$ 4.173,85. O edital (CPRTI 02/2017) pode ser acessado clicando aqui.
O processo será composto por prova dissertativa em duas partes: uma sobre conhecimentos básicos no campo da agricultura, zootecnia e alimentos; e outra sobre conhecimentos específicos, de acordo com a área de especialização do candidato. Além disso, haverá prova de arguição oral e avaliação de títulos.

Para maiores informações, acesse o site: http://www.apta.sp.gov.br
0 comentaram

quarta-feira, 8 de novembro de 2017


. .
Alunos fazem fotos para conscientizar sobre o câncer de mama l Biomédicos em Ação

A Gabriela Fantini é aula do último ano do curso de Biomedicina da Universidade Paulista – UNIP, de Jundiá, no interior de São Paulo. Ela entrou em contato conosco para divulgar as fotos que a turma fez sobre o outubro rosa, como forma de conscientização da prevenção do câncer de mama. E é claro, como a conscientização deve ser todos os dias, não importa se é outubro ou não, eles vieram parar aqui no “Biomédicos em Ação”!











Bacana né?! Quer participar do blog? Faça como a Gabriela, envie também a sua foto! Saiba mais clicando aqui.


0 comentaram

domingo, 5 de novembro de 2017


. .
Ferramentas da qualidade aplicadas a laboratórios - Por Mayara Montani

As ferramentas da qualidade são essenciais para qualquer empresa que tenha como objetivo o crescimento e competitividade no mercado.
Como consequência da implementação de um sistema da qualidade e suas ferramentas, as empresas tendem a reduzir perdas, reanálises e retrabalhos; potencializar e otimizar processos e procedimentos; identificar falhas e oportunidades de melhoria; agilizar resultados; aumentar os lucros e obter satisfação dos clientes.
A preocupação com a qualidade dos processos de gestão laboratorial tem aumentado a cada dia. Foram desenvolvidos programas de avaliação e certificação da qualidade que conferem ao laboratório um certificado do nível de qualidade dos serviços prestados de acordo com a avaliação recebida.
Juntamente com a evolução da gestão da qualidade nesse segmento, as empresas viram a necessidade de adotar métodos e ferramentas para dar suporte no gerenciamento da qualidade. As ferramentas clássicas têm como objetivo auxiliar e apoiar na tomada de decisões para a resolução de problemas ou para melhoraria dos processos e serviços prestados.
Em laboratórios, a produtividade traduz-se na prática da qualidade nas etapas de recebimento e cadastro das amostras, preparo da amostra, análise e liberação do resultado, de modo que seja atrativo do ponto de vista econômico, de satisfação para o cliente, com a diminuição de tempo de liberação dos resultados e reanálises, levando a um aumento da competitividade.
A abordagem sistematizada de problemas é um ponto importantes de um programa da qualidade. Diversas ferramentas foram desenvolvidas com a finalidade de auxiliar o profissional a compreender os problemas que ocorrem em seu dia a dia e a encontrar soluções adequadas para os mesmos. Permitem antecipar falhas, de modo a planejar, atribuir ações corretivas e preventivas ao longo do processo, diminuindo a variabilidade, promovendo também a diminuição dos custos associados à reanálises, erros cometidos e atrasos, promovendo um ciclo de melhoria contínua.
Ter informações exatas sobre o que está ocorrendo modifica a forma de atacar os problemas, ao invés de buscar soluções por tentativa e erro, pode-se analisar a questão de forma organizada e projetar uma solução adequada.
A escolha de qual ferramenta utilizar depende do problema a ser analisado, das circunstâncias que serão aplicadas, das informações obtidas e do conhecimento do processo avaliado. As ferramentas podem ser usadas isoladamente, mas, normalmente, são utilizadas em conjunto, uma complementando a outra, potencializando assim os resultados obtidos. O uso dessas ferramentas tem como objetivo a clareza no trabalho e principalmente a tomada de decisão com base em fatos e dados, ao invés de opiniões, utilizando técnicas específicas e gráficas que produzem melhores resultados do que os processos não estruturados.
A sua aplicação em laboratórios visa melhorar processos de forma geral, desde a fase pré-analítica, analítica até a pós-analítica. As ferramentas, quando utilizadas em conjunto, atuam em diversas frentes, buscando essencialmente diminuir as perdas relativas a reanálises, retrabalhos e desperdícios de materiais, insumos e reagentes; otimizar processos, agilizando tempo de coleta e segregação das amostras, bem como análise e processamento dos dados e resultados obtidos, garantindo rapidez na emissão dos laudos, com confiabilidade e competitividade frente as empresas concorrentes.
  


Fluxograma, Brainstorming, 5s, Kaizen, Gráfico de controle, Diagrama de causa e efeito, 5W2H, Ciclo PDCA, Diagrama de pareto e Folha de Verificação são alguns exemplos de ferramentas da qualidade que podem ser aplicadas em laboratórios.

REFERÊNCIAS

DA GRAÇA BECKER, Maria; SELOW, Marcela Lima Cardoso; TONIOLO, Rucieli Maria Moreira. A IMPORTÂNCIA DO CONTROLE DE QUALIDADE EM LABORATÓRIOS CLÍNICOS. Revista Dom Acadêmico, v. 1, n. 1, 2017.
LUCIETTO, Deoclides et al. Ferramentas da Qualidade. Simpósio Científico de Graduação e Pós-Graduação, 2011.
MARTELLI, Anderson. Gestão da qualidade em laboratórios de análises clínicas. Journal of Health Sciences, 2015.

0 comentaram
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...