segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019


. .
Mais mulheres na ciência, por favor!



O Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência foi instituído pelas Nações Unidas em dezembro de 2015. Desde então, a UNESCO e a ONU Mulheres promovem ações para fortalecer o acesso e a participação de mulheres e meninas na ciência.
É importante lembrar que por vezes as mulheres estiveram impedidas de participar de várias áreas do conhecimento, e um exemplo muito famoso foi trabalho de Marie Curie que demorou anos para ser reconhecido. Hoje, ainda vemos poucas mulheres como destaque na ciência, e é por esse motivo que este incentivo existe.

0 comentaram

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019


. .
Ciclo de Krebs (Ciclo do Ácido Cítrico)

Sempre que vamos estudar bioquímica metabólica, a primeira coisa que vem à cabeça é o famoso Ciclo de Krebs e o Mapa Metabólico, que assusta muita gente. Neste post, totalmente revisado, nós vamos te ajudar a entender melhor as reações do ciclo e fazer você se apaixonar por ele! Ah, vai... se você não se apaixonar, pelo menos que ajude a estudar para a prova! Já é um grande avanço, não? Rsrs
Antes de começar esta leitura, é interessante que leia o nosso post sobre a Via Glicolítica (ou Glicólise), já que o Ciclo de Krebs é a continuação do metabolismo da glicose.
Então, vamos lá! Esqueçam a ideia de que a Bioquímica Metabólica é Diabólica, tomem fôlego e vamos à postagem!

Terminada a glicólise! E olha que era apenas a primeira etapa da complexa oxidação da glicose. Vamos lembrar o que temos até agora: um saldo positivo de 2 ATP, 2 Piruvatos e 2 NADH.
O Piruvato formado segue um dos seus três destinos: formação do etanol ou lactato (ambas são vias anaeróbicas); ou a formação da Acetil-CoA (via aeróbica - do Ciclo de Krebs). Os organismos mais desenvolvidos como o homem, transformam o Piruvato em Acetil-CoA, para que no final, ele seja oxidado a H2O e CO2.

Destinos do Piruvato. Fonte: Researchgate.
  
 As células musculares podem seguir a via do Acetil-CoA ou do Lactato, sendo que nesta última não há um grande saldo de ATP. Por isso, é uma via utilizada em situações de emergência, como exercícios físicos sem preparação.
A via aeróbica do Ciclo de Krebs (que também pode ser chamado de Ciclo do Ácido Cítrico ou ainda Ciclo do Ácido Tricarboxílico- Ciclo TCA, pois algumas moléculas do ciclo possuem 3 carboxilas) é a mais complexa. Isso porque, para que o ciclo se inicie, o Piruvato deve ser convertido a Acetil-CoA, uma molécula de alta energia, com 2 carbonos. 
Imagine o nosso caminho até agora: a glicose entrou na célula, no citosol ocorreu a glicólise, e agora vamos para a matriz mitocondrial (de todas as células do organismo) para entender melhor como funciona o Ciclo de Krebs!


2 comentaram

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019


. .
Resistência antimicrobiana e a PLS 545/2018


Atualmente, a resistência aos antimicrobianos é um dos principais problemas da saúde pública mundial, devido às consequências clínicas e econômicas. Trata-se da capacidade de adaptação evolutiva da bactéria (e outros microrganismos) frente aos antimicrobianos, que vem colocando em risco a eficácia dos medicamentos disponíveis.
Desde sua descoberta em 1928 por Alexandre Fleming, os antibióticos são usados para tratamento de infecções bacterianas, e já salvaram milhares de vidas em todo o mundo. O que vemos no cenário atual é uma grave crise de resistência aos antimicrobianos: as bactérias evoluem mais rápido do que novos antibióticos são lançados no mercado.
Além da falta de desenvolvimento dessas drogas e demora para que estejam disponíveis no mercado, esta crise tem sido atribuída principalmente, dentre outros fatores, ao uso excessivo e indiscriminado dessas drogas. Os quadros de resistência geram uma alta taxa de mortalidade, e maiores custos com internação e equipe médica, além da tentativa (muitas vezes nula) de se utilizar combinações de antibióticos a fim de aumentar sua eficácia.
É preciso que haja maior cautela na prescrição e na utilização dos antibióticos pelo paciente. Mesmo que na maioria das vezes o biomédico não esteja em contato direto com o paciente, é importante que tenhamos consciência desse cenário, que conheçamos os principais mecanismos de resistência, e que possamos liberar laudos cada vez mais claros e de acordo com a realidade atual. É importante também manter diálogos com o corpo clínico para que o tratamento ao paciente seja o melhor possível e incentivar o uso correto dos antibióticos.
Há no Senado Federal um projeto de Lei nº 545, de 2018, de autoria do senador Guaracy Silveira (PSL/TO), que visa facilitar o acesso da população de locais sem serviço regular de saúde pública aos antibióticos, sem a necessidade de receita médica. O projeto está em análise na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), e é claro, gerou grande polêmica no início desse ano. A explicação dada pelo senador para este projeto é a seguinte:
— O que precisamos, claro, é de saúde com acesso gratuito e universal para que todos tenham diagnóstico e prescrição médica. Mas, enquanto esse sonho não se concretiza, precisamos garantir o acesso da população a esses medicamentos em localidades que não possuam atendimento médico e serviço de saúde pública regular. – Guaracy Silveira, senador (PSL/TO).
Desde 2010, a ANVISA exige a apresentação e retenção de uma via da receita médica na compra do antibiótico. Esta medida se dá justamente para que possa haver um controle da disponibilização de antibióticos à população, já que, como vimos até agora, trata-se de um assunto sério.
Facilitar o uso de antibióticos, ainda mais em uma população carente de atenção médica, é simplesmente promover o aumento de quadros de resistência bacteriana e aumentar ainda mais crise em que vivemos. Lembrando, trata-se de uma crise não só para a comunidade científica, médica e para a população, mas de uma crise econômica.
É necessário que medidas preventivas sejam tomadas, e que a população possa receber uma melhor educação sobre o assunto, para que faça uso dos antibióticos com responsabilidade.
Em outro momento, vamos falar mais sobre os tipos de resistência bacteriana e os mecanismos envolvidos, para fins de estudo. Neste momento, precisamos falar sobre a PLS 545/2018 e, como profissionais da saúde, levar maior conhecimento a quem desconhece o assunto e mostrar à população e ao Senado como medidas como esta proposta pelo senador Guaracy podem provocar um dano irreversível.
Você pode ter acesso e manifestar sua opinião ao Senado dizendo que NÃO APOIA este projeto de Lei, clicando aqui. Compartilhe com outros profissionais ou mesmo as pessoas do seu convívio. Ao invés de facilitar o acesso aos antibióticos e aumentar o seu uso indiscriminado, vamos promover a educação sobre o assunto.

Fontes:
SenadoNotícias – para ler na íntegra a notícia sobre o Projeto de Lei
PLS545/2018 – para ler o projeto de Lei e manifestar sua opinião
Wright, G. Tyres, M. Drug combinations: a strategy to extend the life os antibiotics in the 21st century. Nature Reviews, jan. 2019. Disponível em: < https://www.nature.com/articles/s41579-018-0141-x>.
FRIERI, M. et al. Antibiotic resistence. Journal of Infection and Public Health. 10, 369-378. 2017. Disponível em: < https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1876034116301277>.
VENTOLA, C. L. The Antibiotic Resistance Crisis Part 1: Causes. Vol. 40 No. 4, abr. 2015. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4378521/>.
LOUREIRO, R. J. et al. O uso de antibióticos e aos resistências bacterianas: breves notas sobre a sua evolução. Rev Port Saúde Pública. 34(1):77–84. 2016. Disponível em: <https://ac.els-cdn.com/S087090251500067X/1-s2.0-S087090251500067X-main.pdf?_tid=3d2667d0-d49e-43c1-adae-c5a14e1bb68f&acdnat=1548971440_b54109697d4a222e2a20d1431d7c8c45>.
0 comentaram

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019


. .
A ciência influenciando a arte!

Não é novidade que a ciência por muitas vezes influenciou artistas em todo o mundo. A novidade aqui é que o escultor Luke Jerram foi inspirado por microrganismos causadores de doenças importantes, mas que pelas mãos do artista, revelaram sua beleza.
Dá só uma olhada nessas obras de arte!

HIV

(Luke Jerram) 
0 comentaram

quinta-feira, 22 de março de 2018


. .
Processe seletivo para Estágio - DGRH Unicamp



A UNICAMP (Universidade de Campinas) divulgou hoje (22/03/2018), que estão abertas as inscrições para o Processo Seletivo de Estágio para as áreas de Saúde/Biológica/Alimentos/Meio Ambiente. São inicialmente 4 vagas destinadas a alunos do 4º semestre de graduação em Biomedicina, Biologia e Farmácia.
As inscrições poderão ser realizadas on-line, entre 22/03 a 06/04/2018. Para maiores informações e acesso ao edital, acesse o site do DGRH clicando aqui.

Boa sorte a todos!
0 comentaram

segunda-feira, 19 de março de 2018


. .
36º Congresso Brasileiro de Circulação Extracorpórea


Acontecerá de 19 a 21 de abril, em Goiânia – GO, o 36º Congresso Brasileiro de Circulação Extracorpórea. O evento contará com grandes profissionais da área, discutindo sobre atualizações acerca do mundo da Perfusão.
A Sociedade Brasileira de Circulação Extracorpórea, em parceria com o Biomedicina em Ação, está concedendo um desconto de 15% no valor da inscrição para leitores do blog que se inscreverem apresentando o código de desconto abaixo:



Esta é uma excelente oportunidade para participar do maior evento da área!

Veja quais os profissionais estarão palestrando no Congresso (para ver em tamanho maior, clique na imagem):






Para maiores informações, acesse: www.sbcec.com.br
0 comentaram

quinta-feira, 8 de março de 2018


. .
Curso de Introdução à Perícia Criminal e à Biologia Forense - NAC + SORTEIO

Em 2018, teremos mais dessa parceria bacana com o NAC (Núcleo de Aprimoramento Científico). E já vamos começar com o pé direito, falando sobre Perícia Criminal e Biologia Forense!



No dia 25 de março, acontecerá o curso de “Introdução à Perícia Criminal e à Biologia Forense”, ministrado pelo Perito Claudemir Rodrigues Dias Filho, Perito Criminal da Superintendência da Polícia Técnico Científica de São Paulo, professor da Academia de Polícia Civil do Estado de São Paulo, instrutor da Força Nacional de Segurança/SENASP/MJ e autor do livro “Introdução à Biologia Forense”.
O curso será em São Paulo-SP, e nele, os alunos entenderão mais sobre os fundamentos da perícia criminal e as relações entre ciência e justiça, além da aplicação de métodos utilizados das ciências biológicas na resolução criminal.
Serão abordadas também as técnicas de levantamento pericial criminal lastreadas pela biologia e as principais áreas da Biologia Forense: hematologia forense, entomologia forense e genética forense; além de breves intercepções de outras áreas biológicas de interesse pericial como a botânica forense e a palinologia forense.
Haverá também estudos de casos reais e as perspectivas e estudos em andamento no cenário mundial em biologia forense.

Certificado: certificado registrado e impresso com carga horária de 10 horas.
Data e horário: 25/03/2018 das 08hs às 18hs.
Aplicações em: concursos públicos, perito criminal, atualizações gerais sobre assunto, aprimoramento de currículo
Público-Alvo: Estudantes e profissionais da área da saúde e interessados no assunto (não há pré-requisito de cursos ou formação para participar deste curso)
Local: Hotel La Residence Paulista – Alameda Jaú, 1606 – Jardim Paulista, São Paulo – SP, 01420-002

E para ficar ainda melhor, nós vamos sortear uma vaga para esse curso! Acompanhe o Biomedicina em Ação no facebook e saiba como participar!
O sorteio acontecerá às 21:30 hs do dia 20/03/2018.

Mais informações sobre o curso, valores, e contato, acesse: www.nacientifico.com.br

Este é um publieditorial. Todas as informações sobre o curso são de responsabilidade dos seus idealizadores. 
0 comentaram

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018


. .
Como organizar e conservar os alimentos em geladeira? - Por Mayara Montani



O armazenamento correto dos alimentos é fundamental para a saúde. Alguns alimentos necessitam de temperaturas mais frias do que outros, e existe uma variação de temperatura dentro da geladeira, por isso é tão importante ter conhecimento disso, para correto armazenamento dos alimentos.

Cuidados no armazenamento em casa

Após a compra, os alimentos refrigerados e congelados devem ser armazenados na geladeira ou freezer o mais rápido possível e consumidos até a data de validade do produto. A organização dos alimentos é determinante para que os mesmos estejam seguros, conservados e livres de contaminação.
A geladeira não deve ficar muito cheia de alimentos e as prateleiras não devem ser cobertas por panos ou toalhas, pois isso dificulta a circulação do ar frio e consequente manutenção da temperatura.
É importante também abrir a geladeira só quando for necessário e manter a porta aberta pelo menor tempo possível, para evitar oscilações de temperatura.
Nas prateleiras superiores armazene os alimentos preparados, prontos para consumo e que necessitam de maior refrigeração.
Nas prateleiras do meio os produtos pré-preparados e sobras.
E nas prateleiras inferiores, os alimentos crus. Alimentos crus não devem ficar na mesma prateleira dos alimentos cozidos, pois os crus podem contaminar os cozidos – contaminação cruzada.
Na porta armazene garrafas pet, conservas, molhos, bebidas, temperos, geleias – este espaço perde a refrigeração mais rapidamente.
Todos os alimentos devem ser mantidos embalados para evitar ressecamentos, murchamento e contaminação.

0 comentaram

quinta-feira, 30 de novembro de 2017


. .
Alunos fazem fotos para conscientizar sobre o câncer de próstata l Biomédicos em Ação

Mais uma vez, os alunos do estágio do curso de Biomedicina da Universidade Paulista – UNIP, de Jundiá, interior de São Paulo, vieram aqui para o blog! O pedido foi em dose dupla, da Gabriela Fantini é aula do último ano e supervisor do estágio, a biomédica Neu Rocha. E assim como o “outubro rosa”, a conscientização da prevenção do câncer de próstata é muito importante! Os alunos fizeram fotos sobre o tema, e claro, estão aqui no Biomedicina em Ação!








0 comentaram

sexta-feira, 10 de novembro de 2017


. .
Entrevista: Mayara Montani Reis - Microbiologia de Alimentos


1. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Mayara, onde você cursou Biomedicina? Quando se formou?

Mayara: Me formei em 2011, no Centro Universitário Lusíada – UNILUS em Santos/SP.

2. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Como começou a paixão pela Biomedicina e o que mais lhe chamou atenção no curso?

Mayara: Meu interesse na biomedicina surgiu com a ideia de atuar em pesquisa, por isso, logo no primeiro ano de faculdade iniciei minha iniciação científica na UNIFESP. Após dois anos de pesquisa na área de hepatologia desisti de continuar, pois a IC estava me conduzindo para a área acadêmica, mas não era isso que eu queria na época. Decidi que eu precisava adquirir experiência, então comecei a procurar, e consegui um estágio em análises clínicas. Depois do estágio eu pude ter certeza que não queria trabalhar em hospitais e que eu precisava sair da minha zona de conforto para obter sucesso, diferencial e etc. Foi assim que surgiu a Micro de Alimentos.

3. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Quais características você acredita serem essenciais para um bom biomédico?

Mayara: O biomédico deve gostar do que faz, se adaptar a rotina, ser capaz de trabalhar com uma equipe pequena ou sozinho. A profissão não é muito valorizada, principalmente financeiramente, por isso, é essencial que o profissional busque diferenciação e ame o que faz.

4. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Você é pós-graduada em Microbiologia de Alimentos e Gestão da Segurança de Alimentos. Como e quando se interessou pela área? Onde fez sua especialização?

Mayara: Eu comecei a me interessar por essa área no último ano de faculdade, nas aulas de Bromatologia. Mas como não é o foco do curso, precisei procurar uma formação complementar e me especializar na área. Fiz minha especialização em São Paulo, na SBM – Sociedade Brasileira de Microbiologia. No final das contas foi a melhor coisa que eu fiz, me capacitei e hoje atuo em um segmento incomum e promissor para o biomédico.

5. BIOMEDICINA EM AÇÃO: A maioria dos biomédicos que se formam, atuam em análises clínicas. O que você acha desse grande leque de oportunidades além do laboratório clínico, e quais dificuldades você encontrou para se inserir nesse mercado?

Mayara: Eu acho que existem muitas possibilidades além da área de análises clínicas, mas é essencial que o profissional escolha a área de atuação considerando vários aspectos, como paixão, identificação, retorno financeiro e crescimento profissional. Também é importante considerar a empresa, pois o desenvolvimento e reconhecimento profissional dependem e variam muito de empresa para empresa. Não encontrei muitas dificuldades para me inserir nesse mercado, acredito que oportunidades surgem para quem acredita e corre atrás.

6. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Quais atribuições o biomédico deve ter para seguir a área de Microbiologia de Alimentos?

Mayara: Para atuar nessa área é necessário procurar um estágio durante a faculdade ou um curso de especialização.

7. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Onde o biomédico habilitado em Microbiologia e Alimentos pode atuar?

Mayara: Esse profissional pode atuar em laboratório de análise, em empresas, fábricas e consultorias na área.

8. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Como está o mercado para o biomédico nesta área e com quais outros profissionais de trabalha?

Mayara: O campo é limitado, como em diversas outras áreas, por isso é essencial ter, além de um bom currículo, experiência (estágios, trainees). Nessa área trabalhamos e concorremos com biólogos, nutricionistas, farmacêuticos, técnicos em alimentos ou nutrição, engenheiros de alimentos, entre outros.

9. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Dizem que a Biomedicina é a profissão do futuro. O que você acha disso? Mudaria alguma coisa para melhorar a nossa área?

Mayara: Acredito que sim, mas a biomedicina precisa ser mais valorizada pelo mercado e melhor explorada pelo próprio profissional. Se nos especializarmos, podemos atuar em diversas frentes e dominar o mundo. Brincadeiras a parte, o Biomédico não é capacitado somente em análises clínicas, ele precisa focar em habilitações que possibilitem ser um diferencial, que sejam inovadora e tragam o retorno esperado.

10. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Qual a sua dica para quem está começando na Biomedicina?

Mayara: O Biomédico tem uma ampla área de atuação (https://crbm1.gov.br/habilitacao). Minha dica é buscar uma área diferenciada e investir nela.


PERGUNTA DO LEITOR Felipe Trisotto: O biomédico bromatologista pode atuar no desenvolvimento e análises bromatológicas em nutrição animal?

Mayara: Pode, mas isso pode variar entre as empresas.

Considerações finais:
Gostaria de agradecer a oportunidade de escrever no blog. Minha intenção é compartilhar conhecimento e minha experiência na área de alimentos. Quero também me colocar à disposição para esclarecer dúvidas e questionamentos.
Obrigada!

Mayara Reis
0 comentaram
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...