quinta-feira, 30 de novembro de 2017


. .
Alunos fazem fotos para conscientizar sobre o câncer de próstata l Biomédicos em Ação

Mais uma vez, os alunos do estágio do curso de Biomedicina da Universidade Paulista – UNIP, de Jundiá, interior de São Paulo, vieram aqui para o blog! O pedido foi em dose dupla, da Gabriela Fantini é aula do último ano e supervisor do estágio, a biomédica Neu Rocha. E assim como o “outubro rosa”, a conscientização da prevenção do câncer de próstata é muito importante! Os alunos fizeram fotos sobre o tema, e claro, estão aqui no Biomedicina em Ação!








0 comentaram

sexta-feira, 10 de novembro de 2017


. .
Entrevista: Mayara Montani Reis - Microbiologia de Alimentos


1. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Mayara, onde você cursou Biomedicina? Quando se formou?

Mayara: Me formei em 2011, no Centro Universitário Lusíada – UNILUS em Santos/SP.

2. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Como começou a paixão pela Biomedicina e o que mais lhe chamou atenção no curso?

Mayara: Meu interesse na biomedicina surgiu com a ideia de atuar em pesquisa, por isso, logo no primeiro ano de faculdade iniciei minha iniciação científica na UNIFESP. Após dois anos de pesquisa na área de hepatologia desisti de continuar, pois a IC estava me conduzindo para a área acadêmica, mas não era isso que eu queria na época. Decidi que eu precisava adquirir experiência, então comecei a procurar, e consegui um estágio em análises clínicas. Depois do estágio eu pude ter certeza que não queria trabalhar em hospitais e que eu precisava sair da minha zona de conforto para obter sucesso, diferencial e etc. Foi assim que surgiu a Micro de Alimentos.

3. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Quais características você acredita serem essenciais para um bom biomédico?

Mayara: O biomédico deve gostar do que faz, se adaptar a rotina, ser capaz de trabalhar com uma equipe pequena ou sozinho. A profissão não é muito valorizada, principalmente financeiramente, por isso, é essencial que o profissional busque diferenciação e ame o que faz.

4. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Você é pós-graduada em Microbiologia de Alimentos e Gestão da Segurança de Alimentos. Como e quando se interessou pela área? Onde fez sua especialização?

Mayara: Eu comecei a me interessar por essa área no último ano de faculdade, nas aulas de Bromatologia. Mas como não é o foco do curso, precisei procurar uma formação complementar e me especializar na área. Fiz minha especialização em São Paulo, na SBM – Sociedade Brasileira de Microbiologia. No final das contas foi a melhor coisa que eu fiz, me capacitei e hoje atuo em um segmento incomum e promissor para o biomédico.

5. BIOMEDICINA EM AÇÃO: A maioria dos biomédicos que se formam, atuam em análises clínicas. O que você acha desse grande leque de oportunidades além do laboratório clínico, e quais dificuldades você encontrou para se inserir nesse mercado?

Mayara: Eu acho que existem muitas possibilidades além da área de análises clínicas, mas é essencial que o profissional escolha a área de atuação considerando vários aspectos, como paixão, identificação, retorno financeiro e crescimento profissional. Também é importante considerar a empresa, pois o desenvolvimento e reconhecimento profissional dependem e variam muito de empresa para empresa. Não encontrei muitas dificuldades para me inserir nesse mercado, acredito que oportunidades surgem para quem acredita e corre atrás.

6. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Quais atribuições o biomédico deve ter para seguir a área de Microbiologia de Alimentos?

Mayara: Para atuar nessa área é necessário procurar um estágio durante a faculdade ou um curso de especialização.

7. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Onde o biomédico habilitado em Microbiologia e Alimentos pode atuar?

Mayara: Esse profissional pode atuar em laboratório de análise, em empresas, fábricas e consultorias na área.

8. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Como está o mercado para o biomédico nesta área e com quais outros profissionais de trabalha?

Mayara: O campo é limitado, como em diversas outras áreas, por isso é essencial ter, além de um bom currículo, experiência (estágios, trainees). Nessa área trabalhamos e concorremos com biólogos, nutricionistas, farmacêuticos, técnicos em alimentos ou nutrição, engenheiros de alimentos, entre outros.

9. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Dizem que a Biomedicina é a profissão do futuro. O que você acha disso? Mudaria alguma coisa para melhorar a nossa área?

Mayara: Acredito que sim, mas a biomedicina precisa ser mais valorizada pelo mercado e melhor explorada pelo próprio profissional. Se nos especializarmos, podemos atuar em diversas frentes e dominar o mundo. Brincadeiras a parte, o Biomédico não é capacitado somente em análises clínicas, ele precisa focar em habilitações que possibilitem ser um diferencial, que sejam inovadora e tragam o retorno esperado.

10. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Qual a sua dica para quem está começando na Biomedicina?

Mayara: O Biomédico tem uma ampla área de atuação (https://crbm1.gov.br/habilitacao). Minha dica é buscar uma área diferenciada e investir nela.


PERGUNTA DO LEITOR Felipe Trisotto: O biomédico bromatologista pode atuar no desenvolvimento e análises bromatológicas em nutrição animal?

Mayara: Pode, mas isso pode variar entre as empresas.

Considerações finais:
Gostaria de agradecer a oportunidade de escrever no blog. Minha intenção é compartilhar conhecimento e minha experiência na área de alimentos. Quero também me colocar à disposição para esclarecer dúvidas e questionamentos.
Obrigada!

Mayara Reis
0 comentaram

quinta-feira, 9 de novembro de 2017


. .
Concurso Público l Vaga para Biomédico l APTA CPRTI 02/2017


Estão abertas inscrições para o Concurso Público da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), APTA – SP l Edital 002/2017, vinculada à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, para pesquisador científico nível I. Serão 33 vagas para áreas como agronomia, zootecnia, medicina veterinária, e (estamos muito felizes por isso) biomédicos.
As inscrições poderão ser feitas até 7 de dezembro de 2017, das 10h às 16h (exceto sábado, domingos e feriados) em Campinas e em São Paulo. A taxa de inscrição é de R$ 87,73 e o salário é de R$ 4.173,85. O edital (CPRTI 02/2017) pode ser acessado clicando aqui.
O processo será composto por prova dissertativa em duas partes: uma sobre conhecimentos básicos no campo da agricultura, zootecnia e alimentos; e outra sobre conhecimentos específicos, de acordo com a área de especialização do candidato. Além disso, haverá prova de arguição oral e avaliação de títulos.

Para maiores informações, acesse o site: http://www.apta.sp.gov.br
0 comentaram

quarta-feira, 8 de novembro de 2017


. .
Alunos fazem fotos para conscientizar sobre o câncer de mama l Biomédicos em Ação

A Gabriela Fantini é aula do último ano do curso de Biomedicina da Universidade Paulista – UNIP, de Jundiá, no interior de São Paulo. Ela entrou em contato conosco para divulgar as fotos que a turma fez sobre o outubro rosa, como forma de conscientização da prevenção do câncer de mama. E é claro, como a conscientização deve ser todos os dias, não importa se é outubro ou não, eles vieram parar aqui no “Biomédicos em Ação”!











Bacana né?! Quer participar do blog? Faça como a Gabriela, envie também a sua foto! Saiba mais clicando aqui.


0 comentaram

domingo, 5 de novembro de 2017


. .
Ferramentas da qualidade aplicadas a laboratórios - Por Mayara Montani

As ferramentas da qualidade são essenciais para qualquer empresa que tenha como objetivo o crescimento e competitividade no mercado.
Como consequência da implementação de um sistema da qualidade e suas ferramentas, as empresas tendem a reduzir perdas, reanálises e retrabalhos; potencializar e otimizar processos e procedimentos; identificar falhas e oportunidades de melhoria; agilizar resultados; aumentar os lucros e obter satisfação dos clientes.
A preocupação com a qualidade dos processos de gestão laboratorial tem aumentado a cada dia. Foram desenvolvidos programas de avaliação e certificação da qualidade que conferem ao laboratório um certificado do nível de qualidade dos serviços prestados de acordo com a avaliação recebida.
Juntamente com a evolução da gestão da qualidade nesse segmento, as empresas viram a necessidade de adotar métodos e ferramentas para dar suporte no gerenciamento da qualidade. As ferramentas clássicas têm como objetivo auxiliar e apoiar na tomada de decisões para a resolução de problemas ou para melhoraria dos processos e serviços prestados.
Em laboratórios, a produtividade traduz-se na prática da qualidade nas etapas de recebimento e cadastro das amostras, preparo da amostra, análise e liberação do resultado, de modo que seja atrativo do ponto de vista econômico, de satisfação para o cliente, com a diminuição de tempo de liberação dos resultados e reanálises, levando a um aumento da competitividade.
A abordagem sistematizada de problemas é um ponto importantes de um programa da qualidade. Diversas ferramentas foram desenvolvidas com a finalidade de auxiliar o profissional a compreender os problemas que ocorrem em seu dia a dia e a encontrar soluções adequadas para os mesmos. Permitem antecipar falhas, de modo a planejar, atribuir ações corretivas e preventivas ao longo do processo, diminuindo a variabilidade, promovendo também a diminuição dos custos associados à reanálises, erros cometidos e atrasos, promovendo um ciclo de melhoria contínua.
Ter informações exatas sobre o que está ocorrendo modifica a forma de atacar os problemas, ao invés de buscar soluções por tentativa e erro, pode-se analisar a questão de forma organizada e projetar uma solução adequada.
A escolha de qual ferramenta utilizar depende do problema a ser analisado, das circunstâncias que serão aplicadas, das informações obtidas e do conhecimento do processo avaliado. As ferramentas podem ser usadas isoladamente, mas, normalmente, são utilizadas em conjunto, uma complementando a outra, potencializando assim os resultados obtidos. O uso dessas ferramentas tem como objetivo a clareza no trabalho e principalmente a tomada de decisão com base em fatos e dados, ao invés de opiniões, utilizando técnicas específicas e gráficas que produzem melhores resultados do que os processos não estruturados.
A sua aplicação em laboratórios visa melhorar processos de forma geral, desde a fase pré-analítica, analítica até a pós-analítica. As ferramentas, quando utilizadas em conjunto, atuam em diversas frentes, buscando essencialmente diminuir as perdas relativas a reanálises, retrabalhos e desperdícios de materiais, insumos e reagentes; otimizar processos, agilizando tempo de coleta e segregação das amostras, bem como análise e processamento dos dados e resultados obtidos, garantindo rapidez na emissão dos laudos, com confiabilidade e competitividade frente as empresas concorrentes.
  


Fluxograma, Brainstorming, 5s, Kaizen, Gráfico de controle, Diagrama de causa e efeito, 5W2H, Ciclo PDCA, Diagrama de pareto e Folha de Verificação são alguns exemplos de ferramentas da qualidade que podem ser aplicadas em laboratórios.

REFERÊNCIAS

DA GRAÇA BECKER, Maria; SELOW, Marcela Lima Cardoso; TONIOLO, Rucieli Maria Moreira. A IMPORTÂNCIA DO CONTROLE DE QUALIDADE EM LABORATÓRIOS CLÍNICOS. Revista Dom Acadêmico, v. 1, n. 1, 2017.
LUCIETTO, Deoclides et al. Ferramentas da Qualidade. Simpósio Científico de Graduação e Pós-Graduação, 2011.
MARTELLI, Anderson. Gestão da qualidade em laboratórios de análises clínicas. Journal of Health Sciences, 2015.

0 comentaram

quarta-feira, 27 de setembro de 2017


. .
Curso de Citogenética Humana - NAC - opinião dos alunos


No dia 03 de setembro, aconteceu em São Paulo, mais um curso do Núcleo de Aprimoramento Científico (NAC), novo parceiro do Biomedicina em Ação. E para comemorar a parceria, fizemos um sorteio do curso de Citogenética Humana, ministrado pela Bióloga Esp. Leniza Pola, Citogeneticista e Analista Pleno. Foram duas as sorteadas, e uma delas, a Luana, contou para nós o que achou do curso e do sorteio:





 “Fui sorteada para ir ao curso de Citogenética do NAC no dia 03/09, a minha experiência foi maravilhosa. O curso é fantástico realmente você aprende e sai de lá satisfeito com o conhecimento adquirido e apesar de estar cursando o 4°semestre e não ter tido a matéria de genética a palestrante tornou o assunto de fácil entendimento. Adorei, muito obrigada Biomedicina em Ação!” Luana Barrionuevo







E olhem só que bacana o registro que a biomédica Nathália Tubys fez do curso!
   
Foto tirada em microscópio no curso de Citogenética Humana - NAC.

Ainda não conhece os cursos do NAC? Fique ligado no site e nas redes sociais para os próximos cursos e faça parte do grupo de profissionais que se destacam!

0 comentaram

terça-feira, 29 de agosto de 2017


. .
Curso de Métodos de Identificação e Resistência Bacteriana + Resultado do sorteio NAC

Aconteceu no dia último dia 26 (sábado), o curso de Métodos de Identificação e Resistência Bacteriana, promovido pelo Núcleo de Aprimoramento Científico (NAC), na cidade de São Paulo, ministrado pela Profa. Dra. Lucianne Leigue dos Santos. O Biomedicina em Ação esteve presente, para apresentar a nova parceria com o NAC, que certamente, trará aos leitores do blog muitas novidades!
Os cursos do NAC possuem certificados registrados, e estão divididos em módulos, que podem ser realizados de forma presencial ou à distância, em uma plataforma pensada para atender da melhor forma possível aos seus alunos.
O curso de Métodos de Identificação e Resistência Bacterina contou com profissionais e estudantes de vários estados do país, como Minas Gerais, Rio de Janeiro, e do interior paulista, como a Adriana, que é biomédica e faz aprimoramento no HC da Faculdade de Medicina da USP, de Ribeirão Preto.


“Eu gostei muito do curso, foi bem proveitoso, e atendeu minhas expectativas! ”

Quem esteve presente também foi o Lucas, biomédico e aprimorando do Instituto Adolfo Lutz de São Paulo.


“Já trabalhei em laboratório de Análises Clínicas, com microbiologia. O curso de hoje foi para minha atualização e para entender um pouco mais sobre esse universo da resistência bacteriana”

Aproveitamos para conhecer mais sobre a empresa, e para isso, conversamos também com a Daniele Lima e a Dra Élida Neri, que juntamente com o Me. Thiago Turaça auxiliam no desenvolvimento de alguns cursos do NAC. A Daniele é quem está à frente da empresa para o atendimento ao público:
“Tivemos início há 2 anos, estamos atuando em cursos presenciais e online. Mas o nosso foco maior será nos cursos online, e continuarão presenciais os que tiverem maior procura. Com isso, queremos poder atender o Brasil todo. Hoje a equipe é composta por biomédicos, nutricionistas, fisioterapeutas, o pessoal do marketing, publicidade, TI... temos um pouco de cada área para atender melhor aos alunos”, ressaltou Daniele.
A fisioterapeuta Dra Élida, completou:
“Agora nós queremos expandir também com cursos mais avançados voltados aos profissionais da saúde, como biomédicos, enfermeiros fisioterapeutas, nutricionistas, principalmente aqueles mais qualificados com mestrado e doutorado. Serão cursos mais avançados, com aplicação na prática profissional.”



BÔNUS – RESULTADO DO SORTEIO DO CURSO DE CITOGENÉTICA HUMANA!

Agradecemos a todos os participantes, e principalmente ao Núcleo de Aprimoramento Científico por conceder duas vagas aos leitores do Biomedicina em Ação. As duas sorteadas realizaram todos os passos do regulamento e foram as vencedoras! Parabéns Luana e Hellen!!!!! 



Ficou interessado em conhecer mais cursos do NAC? É só acessar: www.nacientifico.com.br. E não se esqueça de ficar de olho em todas as redes sociais do Biomedicina em Ação e do NAC para saber das novidades.
0 comentaram

quarta-feira, 23 de agosto de 2017


. .
A citogenética aplicada ao diagnóstico da Leucemia Mielóide Crônica (LMC)


A Leucemia Mielóide Crônica (LMC) é uma doença clonal maligna caracterizada por uma excessiva proliferação da linhagem mieloide, seguida por uma perda progressiva da diferenciação celular e culminando em um quadro de leucemia aguda, conhecida como fase blástica.
Ela está associada a uma anormalidade citogenética específica, o Cromossoma Philadelphia (Ph), uma alteração cromossômica que resulta de uma translocação recíproca entre os braços longos dos cromossomas 9 e 22, isto é, a t(9;22) e leva à formação de um novo gene leucemia-específico, o BCR-ABL, detectável por PCR.
A primeira detecção de alteração cromossômica em doença neoplásica deu-se em 1960, justamente com a descrição do Ph observado no sangue periférico de pacientes portadores de LMC (Nowell & Hungerford, 1960).

DIAGNÓSTICO DA LMC

Além da contagem sanguínea (leucocitose e frequentemente também trombocitose) e no diferencial (granulócitos imaturos, de metamielócitos a mieloblastos, e basofilia), o diagnóstico requer a análise citogenética e a pesquisa do mRNA do gene BCR-ABL no sangue periférico ou na medula óssea.
A maior parte dos diagnósticos é feita na fase crônica, e o curso clínico típico tem três fases: fase crônica, fase acelerada e fase blástica. Para definição de fase acelerada é necessária a presença de 1% a 19% blastos no sangue ou na medula óssea, número de basófilos > 20%, trombocitose ou trombocitopenia não relacionada à terapia, e evolução clonal na avaliação citogenética. A fase blástica caracteriza-se por > 20% de blastos ou infiltração blástica extramedular.

TRATAMENTO

Atualmente, a LMC não é uma doença curável com a terapia medicamentosa, sendo o transplante de medula óssea (TMO) alogenéico (aparentado ou não aparentado) a única modalidade curativa de tratamento, por induzir remissão molecular com a eliminação dos transcritos BCR-ABL.

O diagnóstico da LMC é uma das aplicações da citogenética, uma área da genética que estuda a estrutura, composição, número e papel dos cromossomos em estado normal e patológico. A análise cromossômica, o cariótipo, com uma resolução e precisão muitíssimo melhoradas, é um procedimento diagnóstico cada vez mais importante em várias áreas da medicina. É indicada como um procedimento diagnóstico de rotina para uma série de situações clínicas, como problemas precoces de crescimento e desenvolvimento, perdas reprodutivas, problemas de infertilidade, histórico familiar e gestação em idade avançada.
Os distúrbios cromossômicos formam uma importante categoria de doenças genéticas. Eles contribuem para uma grande proporção de todas as perdas reprodutivas, malformações congênitas e retardo mental, tendo um importante papel na patogenia da malignidade. As anomalias cromossômicas específicas são responsáveis por mais de 100 síndromes identificáveis. De acordo com a literatura, os distúrbios citogenéticos estão presentes em quase 1% de todos os nativivos, em cerca de 2% de todas as gestações em mulheres com mais de 35 anos que se submetem a um diagnóstico pré-natal, e em praticamente a metade de todos os abortos espontâneos do primeiro trimestre.
Quase todas as neoplasias estão associadas a uma ou mais alterações cromossômicas e a avaliação dos cromossomos pode auxiliar no diagnóstico, tratamento e prognóstico

QUER SABER MAIS SOBRE O CITOGENÉTICA?

O Núcleo de Aprimoramento Científico (NAC) vai promover um curso presencial teórico de Citogenética Humana, no dia 03 de setembro de 2017, em São Paulo.
O curso tem como objetivo abordar os conceitos básicos do DNA, composição do cariótipo, aplicabilidade dos exames, tipos de alterações,síndromes, protocolos, cariograma, nomenclatura citogenética, Proficiência em Citogenética pelo College of American Patologists (CAP) entre outros, a fim de trazer os conhecimentos da prática do profissional e a aplicação das técnicas no dia a dia do citogeneticista.



Carga horária: 7 horas.
Data e horário: 03/09/2017 das 9hs às 16hs,
Investimento:
·         R$ 147,00 (3 x R$ 49,00 - sem juros no cartão - Paypal)
·         R$ 119,00 no boleto bancário (vencimento 2 dias)
Local do curso: La Residence Paulista - Alameda Jaú, 1606 - Jardim Paulista, São Paulo - SP, 01420-002.


E nós temos uma excelente notícia para os leitores do Biomedicina em Ação! Em parceria com a NAC, sortearemos 2 vagas para o curso de Citogenética! Acompanhe o Biomedicina em Ação no facebook e saiba como participar!
O sorteio acontecerá às 21:30 hs do dia 29/08/2017.

Mais informações sobre o curso, valores, e contato, acesse: www.nacientifico.com.br

Este é um publieditorial. Todas as informações sobre o curso são de responsabilidade dos seus idealizadores. 


Fontes:
Chronic myeloid leukemia. Revista Brasileira de Cancerologia, 2003, 49(1): 5-8.
De Souza CA, Pagnano KBB, Bendit I, Conchon M, Freitas CMBM, Coelho AM, Funke VAM, Bernardo WM. Leucemia Mieloide Crônica. Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina. 2012.
0 comentaram

segunda-feira, 24 de julho de 2017


. .
A biomedicina vista de diferentes ângulos | WebSérie

Quantas vezes alguém já perguntou a você o que faz um biomédico ou se biomédico é quase médico? Que tal se a biomedicina fosse tão difundida quanto outras profissões?
É para o reconhecimento da nossa profissão é que lutamos diariamente! E para ‘dar um up’ na divulgação da biomedicina, o Prof Marcelo Oliveira, do Canal do Biomédico, junto a outros colegas, criou uma WebSérie para tirar todas as dúvidas e para bater um papo sobre ás áreas em que podemos atuar, sobre o cenário da biomedicina em concursos públicos, sobre pesquisa, residência biomédica, e muitos outros assuntos! Isso tudo reunindo grandes nomes da biomedicina que trabalham difundindo conhecimento na internet.
  


Além do Prof. Marcelo, participarão da WebSérie o Fredson Serejo (Prepara Biomédico), o Brunno Câmara (Biomedicina Padrão), Carlos Danilo Cardoso e Marcus Cardoso (Gêmeos da Biomedicina) e Rodrigo Colares (Movimento Biomédicos Unidos do Amazonas).
E é com grande honra que o Biomedicina em Ação estará na live final, falando e divulgando o que a gente mais gosta, não é?


Acesse o Canal do Biomédico e confira os vídeos que serão lançados ao longo das semanas. Curta, compartilhe, mande para os amigos, para a família! Vamos todos juntos em prol da divulgação da Biomedicina!
0 comentaram

quinta-feira, 13 de julho de 2017


. .
XVII Semana de Biomedicina da UFRJ



Acontecerá entre 07 e 11 de agosto, a XVII Semana de Biomedicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Trata-se de um evento idealizado e realizado a partir da livre articulação de alunos do curso de Ciências Biológicas: Modalidade Médica da UFRJ. O evento tem por objetivo a integração entre os estudantes de graduação das ciências biomédicas e demais entusiastas da área a fim de proporcionar um intercâmbio cultural e científico, promovendo a criação de uma rede que permita a interação entre estudantes e profissionais renomados das variadas áreas que compõem o campo de atuação de um biomédico no mercado de trabalho.

As inscrições vão até 19 de julho! Corre que dá tempo!

Palestras
O ciclo de palestras terá início no dia 8 de agosto de 2017 e se estenderá até o dia 11 de agosto de 2017.
Minicursos
Compreenderão atividades que abrangem as mais diversas áreas de atuação do biomédico no mercado de trabalho e oferecerão atividades lúdicas aos participantes.

Apresentação de pôster
A comissão organizadora proporcionará um momento para apresentação de trabalhos científicos produzidos por alunos inscritos na XVII Semana de Biomedicina.
Profissão Biomédico
Permitirá o contato com profissionais biomédicos de diferentes áreas, ajudando a esclarecer dúvidas sobre diferentes áreas de atuação dentro da carreira.
Mesa redonda
Momento de debate com pesquisadores sobre um tema de relevância dentro do cenário biomédico.

Para mais informações, acesse:

0 comentaram
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...