quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020


. .
Epidemia do novo Coronavírus - o que preciso saber?




Em 31 de dezembro de 2019, foi relatado o primeiro caso de infecção pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) em Wuhan, na China. Desde então, temos acompanhado o crescente número de infecções, e o surto acabou tornando-se uma epidemia, atingindo também outros países. Cientistas do mundo inteiro, inclusive os brasileiros, iniciaram uma busca incessante para entender esta nova cepa, e com isso, desenvolver métodos rápidos de diagnóstico e de prevenção. Até o momento desta postagem, o cenário é o seguinte:
·      81.311 casos confirmados em todo o mundo, sendo a maior parte ainda na China.
·      2.770 mortes.
·      30.322 casos de pacientes que se recuperaram.
Hoje, 26 de fevereiro de 2020, foi confirmado o primeiro caso no Brasil. A vítima é um homem de 61 anos que deu entrada no Hospital Israelita Albert Einstein, com histórico de viagem para Itália, região da Lombardia.
Já que estamos diante do problema, o ideal é buscar informação para que possamos contribuir para que ele não se alastre.
2 comentaram

domingo, 23 de fevereiro de 2020


. .
Tudo ok?



A automação ajuda, mas é importante conferir tudinho. Tá tudo ok? Libera de uma vez que o paciente tá lá no PA esperando 😅

Um bom carnaval a todos!

0 comentaram

quarta-feira, 20 de novembro de 2019


. .
Parabéns, biomédicos!



"Ser biomédico é saber que por trás de cada amostra biológica em exames há sorrisos, dor, resiliência e gratidão." Parabéns a todos os biomédicos que trabalham com ética e amor, em prol da saúde e da ciência.
Feliz dia, caros colegas! 


0 comentaram

segunda-feira, 4 de novembro de 2019


. .
Saiba o valor da anuidade do CRBM de 2020

O CFBM publicou no dia 30 de outubro de 2019, a Resolução CFBM nº314/2019 que fixa os valores das anuidades, emolumentos e multas devidas aos Conselhos Regionais de Biomedicina, para 2020. Vocês já podem começar a se preparar, porque entra em vigor a partir de 01 de janeiro de 2020. Confira os valores integrais:

  • Biomédico – R$ 515,00
  • Tecnólogo – R$ 257,00
  • Técnico – R$ 154,00
Os valores se mantiveram iguais ao do ano passado, devido a um processo de organização financeira do CFBM. É importante lembrar que o valor da anuidade pode ser parcelado em até 5 vezes (sem desconto), e pagando até 31/01/2020 em parcela única, há desconto de 10%; ou até 28/02/2020, 5%. Para adimplentes nos últimos 5 anos e com situação regularizada até 27/12/2019, a anuidade poderá ser parcelada em até 12x.
Para maiores informações sobre a anuidade, registro e outros documentos, acesse o site do Conselho da sua região.  

0 comentaram

quarta-feira, 21 de agosto de 2019


. .
I Encontro Paulista de Biomedicina


Acontecerá, nos dias 28 e 29 de Setembro de 2019, o I Encontro Paulista de Biomedicina. O evento organizado pela Associação Brasileira de Biomedicina (ABBM) e Associação Paulista de Biomedicina (APBM) com apoio do Conselho Regional de Biomedicina 1ª Região (CRBM1) será em São Paulo, no Espaço Hakka Eventos.
Para inscrições e maiores informações, acesse: www.abbm.org.br

0 comentaram

segunda-feira, 20 de maio de 2019


. .
Juntos e Shallow Now, versão biomédica


😅

0 comentaram

. .
1º Encontro Acadêmico de Biomedicina - Faculdade Anhanguera

No mês de abril, mais precisamente nos dias 22 e 23, tive o prazer de estar junto aos alunos do curso de biomedicina da Faculdade Anhanguera, de Campinas. Este foi o primeiro evento organizado pelos estudantes com apoio dos professores e coordenação.


0 comentaram

quinta-feira, 28 de março de 2019


. .
Plasma Rico em Plaquetas e Plasma Rico em Fibrina



Nos últimos anos, os estudos sobre o processo de coagulação se expandiram, e trouxeram à comunidade científica novas possibilidades de tratamentos que podem ser aplicados em diversas áreas, como odontologia, ortopedia, medicina esportiva, reumatologia, oftalmologia, dermatologia, estética dentre outras. Tais estudos envolvem os chamados PRP e PRF, aplicações promissoras para em vários campos pela rapidez e simplicidade dos métodos. Mas o que são PRP e PRF?
Ambos são métodos autólogos, de caráter não transfusional; ou seja, utiliza-se o sangue do próprio paciente para o procedimento. A sigla PRP vem do inglês “platelet rich plasma (plasma rico em plaquetas), também denominado plasma rico em fatores de crescimento (PRGF) ou concentrado de plaquetas (PC). Trata-se da concentração de plaquetas autólogas suspensas em uma pequena quantidade de plasma após a centrifugação que, com utilização de anticoagulante, resultada em um produto líquido que é indicado para tratamento menos complexos. É clinicamente usado para fornecer fatores de crescimento em altas concentrações para o local a ser regenerado ou para uma região que requer aumento.
Já a sigla PRF significa “platelet rich fibrin”, com tradução para o português de fibrina rica em plaquetas. Trata-se de um biomaterial de fibrina autóloga, rica em plaquetas e leucócitos, com uma composição específica e arquitetura tridimensional. O PRF é classificado como um concentrado de plaquetas de segunda geração, pois é preparado como um concentrado natural sem a adição de quaisquer anticoagulantes, permitindo obter membranas de fibrina enriquecidas com plaquetas e fatores de crescimento. O produto final tem consistência de gel, devido à presença da fibrina. É indicado para procedimentos de média e alta complexidade.
Os procedimentos de PRF e PRP ficaram mais conhecidos quando divulgados pela mídia no tratamento clínico e estético de algumas celebridades, como o jogador Neymar. Embora pareçam novas, há anos de estudos para que pudesse ser discutido sobre sua real eficácia. 

Ficou interessado no assunto? A Universidade Paulista – UNIP, de Campinas, está com um curso presencial de Capacitação em Fibrina Rica em Plaquetas (PRF), Plasma Rico em Plaquetas (PRP) e Venopunção, Bases Biológicas e Aplicações Clínicas.
  

Responsável: Profa. Dra. Maristela Cesquini – Bióloga pela Unicamp, mestre e doutora em Biologia Funcional e Molecular (área de concentração Bioquímica). Realizou pós-doutorado em Clínica Médica também pela Unicamp. Professora Titular de Bioquímica na Universidade Paulista para os cursos de Biomedicina, Farmácia, Medicina Veterinária e Odontologia.

Público: graduados em cursos superiores na área da saúde reconhecidos pelo Conselho Nacional de Educação.

Para maiores informações, clique aqui.
*Descontos especiais para ex-alunos e empresas conveniadas.

Fontes:
COSTA, P. A. SANTOS, P. Platelet-rich plasma: a review of its therapeutic use. Disponível em: <http://www.rbac.org.br/artigos/plasma-rico-em-plaquetas-uma-revisao-sobre-seu-uso-terapeutico/>. Acesso em 27/03/2019.
SOARES, R. P. et al. Plasma rico em plaquetas em lesões de joelho. Rev. Assoc. Med. Bras. vol.56 no.3.São Paulo. 2010.
0 comentaram

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019


. .
Mais mulheres na ciência, por favor!



O Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência foi instituído pelas Nações Unidas em dezembro de 2015. Desde então, a UNESCO e a ONU Mulheres promovem ações para fortalecer o acesso e a participação de mulheres e meninas na ciência.
É importante lembrar que por vezes as mulheres estiveram impedidas de participar de várias áreas do conhecimento, e um exemplo muito famoso foi trabalho de Marie Curie que demorou anos para ser reconhecido. Hoje, ainda vemos poucas mulheres como destaque na ciência, e é por esse motivo que este incentivo existe.

1 comentaram

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019


. .
Ciclo de Krebs (Ciclo do Ácido Cítrico)

Sempre que vamos estudar bioquímica metabólica, a primeira coisa que vem à cabeça é o famoso Ciclo de Krebs e o Mapa Metabólico, que assusta muita gente. Neste post, totalmente revisado, nós vamos te ajudar a entender melhor as reações do ciclo e fazer você se apaixonar por ele! Ah, vai... se você não se apaixonar, pelo menos que ajude a estudar para a prova! Já é um grande avanço, não? Rsrs
Antes de começar esta leitura, é interessante que leia o nosso post sobre a Via Glicolítica (ou Glicólise), já que o Ciclo de Krebs é a continuação do metabolismo da glicose.
Então, vamos lá! Esqueçam a ideia de que a Bioquímica Metabólica é Diabólica, tomem fôlego e vamos à postagem!

Terminada a glicólise! E olha que era apenas a primeira etapa da complexa oxidação da glicose. Vamos lembrar o que temos até agora: um saldo positivo de 2 ATP, 2 Piruvatos e 2 NADH.
O Piruvato formado segue um dos seus três destinos: formação do etanol ou lactato (ambas são vias anaeróbicas); ou a formação da Acetil-CoA (via aeróbica - do Ciclo de Krebs). Os organismos mais desenvolvidos como o homem, transformam o Piruvato em Acetil-CoA, para que no final, ele seja oxidado a H2O e CO2.

Destinos do Piruvato. Fonte: Researchgate.
  
 As células musculares podem seguir a via do Acetil-CoA ou do Lactato, sendo que nesta última não há um grande saldo de ATP. Por isso, é uma via utilizada em situações de emergência, como exercícios físicos sem preparação.
A via aeróbica do Ciclo de Krebs (que também pode ser chamado de Ciclo do Ácido Cítrico ou ainda Ciclo do Ácido Tricarboxílico- Ciclo TCA, pois algumas moléculas do ciclo possuem 3 carboxilas) é a mais complexa. Isso porque, para que o ciclo se inicie, o Piruvato deve ser convertido a Acetil-CoA, uma molécula de alta energia, com 2 carbonos. 
Imagine o nosso caminho até agora: a glicose entrou na célula, no citosol ocorreu a glicólise, e agora vamos para a matriz mitocondrial (de todas as células do organismo) para entender melhor como funciona o Ciclo de Krebs!


3 comentaram
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...