domingo, 26 de fevereiro de 2012


. .
Simpósio Acadêmico de Biomedicina - Fotos

O que foi o Simpósio?
  A ideia veio de um dos nossos autores do blog, Jonatam Crispim, com o meu apoio e mobilização de todo o 2° semestre do curso de Biomedicina da Unip Campinas. O Simpósio surgiu com a vontade de comemorar o Dia do Biomédico, que havia sido esquecido por todos na faculdade. Além de mostrar que nós estávamos chegando, mas que queríamos fazer algo a mais, uma iniciativa que deve vir dos alunos. Estávamos chegando para ficar, mudar, e deixar a nossa marca.
  A vontade era grande, e então colocamos os pés no chão, e com a ajuda do pessoal do 4º semestre, da coordenação, e da professora Cláudia Minazaki, fomos atrás de patrocínios e tivemos a honra de receber a Dra. Juliana e a Dra. Lilian, peritas da Polícia Técnico-Científica de Jundiaí, que acreditaram no nosso projeto, e se prontificaram a participar conosco nesse grande início.
  Seria o primeiro grande evento do curso na Unip Campinas. O tema "Perícia Criminal" chamou a atenção de alunos de muitos cursos, que arrumaram um tempinho em meio às provas e deram um voto positivo ao nosso evento.
  Eu postei o vídeo de abertura do evento, os agradecimentos aos patrocinadores e colaboradores, mas ainda não postei as fotos galerinha! Desculpem-me, mas é que não tive acesso a todas as fotos ainda, já que muitas se perderam por aí, em alguma câmera rsrsrs Postarei então as que eu tive acesso aqui, e já estão no facebook. Então,lá vai (como diria nossa inesquecível Sílvia):
0 comentaram

. .
Equipamentos de Proteção Individual (EPIs)


Calma! Não precisa se assustar. Esta foto foi tirada no Museu de Microbiologia do Instituto Butantan, e já esteve aqui no blog, quando falei sobre nossa visita ao local. Trata-se dos EPIs usados antigamente (muito antigamente). Estou repetindo a foto somente para compararmos com os EPIs atuais, que serão tratados nesta postagem. Então vamos lá!

  Todo profissional deve conhecer os riscos aos quais estarão expostos no ambiente de trabalho. Na Biomedicina não é diferente. Além de risco de acidentes, estamos expostos a riscos físicos e químicos que são inevitáveis nessa profissão. É claro que deve haver uma prevenção, cuidados que devem ser tomados e levados a sério pelo Biomédico. Um desses cuidados é o uso de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual).
  EPIs são quaisquer meios ou dispositivos destinados a serem utilizados por uma pessoa contra possíveis riscos ameaçadores da sua saúde ou segurança durante o exercício de uma determinada atividade. Um equipamento de proteção individual pode ser constituído por vários meios ou dispositivos associados de forma a proteger o seu utilizador contra um ou vários riscos simultâneos. No Brasil, o uso destes equipamentos é regulamentado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), através da Norma Regulamentadora Nº. 06 (Equipamento de proteção individual), com redação dada pela Portaria N.º 25, de 15 de outubro de 2001, publicada no DOU em 17 de outubro de 2001 e atualizada periodicamente por instruções normativas e portarias. É obrigatório que todo EPI tenha certificado de aprovação (CA) emitido pelo Ministério do Trabalho, passando por testes rigorosos em laboratórios credenciados pelo próprio Ministério.

0 comentaram

. .
O estudante de Biomedicina

Sem mais. rsrs
(via Biomedicina da Depressão)
0 comentaram

. .
Carboidratos



O que são?

  Muitos associam o carboidrato ao açúcar, propriamente dito, mas essa não é a verdade. Carboidratos são quaisquer moléculas que possuem em sua estrutura uma quantidade acima de três carbonos e água; daí o nome de Hidratos de Carbono. Os carboidratos podem ser classificados da seguinte forma:

0 comentaram

sábado, 25 de fevereiro de 2012


. .
Técnicas histológicas de rotina

Vídeos sobre técnicas (resumidas) histológicas de rotina. - Em espanhol.


0 comentaram

. .
A tal Imunologia


Os alunos PIRA na IMUNO!!!

0 comentaram

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012


. .
HC de Ribeirão Preto debate a hanseníase


ESTA REPORTAGEM FOI RETIRADA DO PORTAL DO GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Semana da Mancha também avalia pacientes com queixa de manchas na pele e triagem de casos suspeitos
    Até a próxima sexta-feira, 10, o Centro de Referência Nacional em Dermatologia Sanitária-Hanseníase HCFMRP-USP, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, Ministério da Saúde e Sociedade Brasileira de Hansenologia, realiza alguns eventos para divulgar e orientar a população sobre a hanseníase.
  No evento A Semana da Mancha, os profissionais da saúde realizam, no Centro de Referência em Especialidades, avaliações de pacientes com queixa de manchas na pele e triagem de casos suspeitos de hanseníase.
  A hanseníase é uma doença infecciosa de longa evolução, transmitida de pessoa doente para pessoa sadia e suscetível pelo contato pessoal prolongado. O bacilo Mycobacterium leprae, uma bactéria, invade os nervos periféricos desencadeando alteração de sensibilidade ao calor/frio, ao tato e à dor. Surgem manchas brancas ou avermelhadas além de nódulos (caroços) na pele. Pode também evoluir com perda de força muscular das mãos, pés e pálpebras. É uma doença totalmente curável quando tratada com a poliquimioterapia padrão, oferecida gratuitamente na rede de saúde.
0 comentaram

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012


. .
O que faz um biomédico?

Uma explicação bem clara para essa pergunta que ainda persegue a maioria das pessoas que estão começando nessa área. - Indicação de Gabriella Pais (5° semestre - Unip Campinas).


0 comentaram

. .
A Síndrome de Swan


Com doença desconhecida, menina para de se desenvolver aos 4 meses




Texto do Portal do Biomédico


Uma britânica está tentando chamar atenção para uma doença genética que fez com que sua filha praticamente parasse de se desenvolver quando tinha quatro meses de idade e que pode fazer com que ela nunca ande ou fale.
A filha mais jovem de Emma Hawley, Jessica, hoje com um ano e meio, tem uma síndrome que passou a ser descrita pelo termo genérico Swan (sigla em inglês para Síndrome Sem Nome), já que nenhum médico conseguiu fazer um diagnóstico preciso.
Não se sabe exatamente quantas crianças são afetadas por problemas de saúde desconhecidos, mas Hawley está tentando fazer com que médicos e a população em geral discutam mais o assunto. Ela conta que desde cedo percebeu que havia algo errado com sua filha.
0 comentaram

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012


. .
Microscopia óptica

O microscópio é o mais importante instrumento no estudo da biologia celular. A microscopia óptica, ou de luz, permite que enxerguemos estruturas de observação impossível a olho nu, através da incidência de luz, e de lentes objetivas que promovem um aumento de até 1000x.


Há duas divisões que podem ser colocadas para o estudo do microscópio óptico. Como o próprio nome diz, ele é composto por uma parte óptica, formada por três sistemas de lentes (objetivas, ocular e condensador), pelo diafragma e por uma fonte de incidência de luz. É composto também por uma parte mecânica, que garante o suporte para a visualização.
A visualização no microscópio se dá da seguinte forma: o condensador é responsável pelo ajuste de luminosidade e pela projeção de um cone de luz em um espelho, passando pela lâmina até que chegue às objetivas. O microscópio óptico possui objetivas de 4, 10, 40 e 100, que proporcionam uma visão panorâmica de aumento aproximado de 40x, 100x, 400x e 1000x, respectivamente, sendo que para a visualização de estruturas com aumento de 1000x é necessária utilização de óleo de imersão para que a lâmina não seja danificada. Nas lentes objetivas a imagem é ajustada pelo seu limiar de resolução, que proporciona uma maior riqueza de detalhes; e logo é projetada às lentes oculares, que farão novamente o aumento da imagem, finalizando o processo de visualização.
Por fim, parte mecânica do microscópio é composta pela seguintes estruturas: base, braço, revólver (que permite a troca da objetiva a ser utilizada), platina (haste metálica onde é inserida a lâmina), charriot (possibilita o movimento da platina para melhor focalização da lâmina), canhão ou tubo (onde se localizam as lentes oculares), e parafusos micrômetro e macrômetro (responsáveis pela focalização).
8 comentaram

. .
Você sabe a diferença entre remédio, fármaco, droga e medicamento?


1 comentaram

. .
Saiba mais sobre ...



O que é?
  Deve ser do conhecimento de muitos que os estímulos sensoriais  e motores são levados até o cérebro pelos nervos periféricos, para que sejam processados e entendidos como dor, calor, frio, ou até mesmo um movimento. Sabemos também que o revestimento desses nervos é chamado de bainha de milelina, e é exatamente essa "proteção" dos nervos que fica acometida em pacientes que desenvolvem a Síndrome de Guillain-Barré.
  A Síndrome de Guillain-Barré (SGB) ou polirradiculoneurite aguda é uma desordem na qual o sistema imunológico do corpo ataca parte do sistema nervoso periférico. Trata-se de uma neuropatia auto-imune caracterizada pela inflamação aguda ou perda da mielina nos nervos periféricos, e em algumas situações, de nervos que enervam do tronco cerebral. A produção de auto-anticorpos atacam e destroem a bainha de mielina, bloqueando a passagem do  estímulo nervoso. Os nervos acometidos são basicamente os motores, acarretando na incapacidade muscular com pouca ou nenhuma diminuição da sensibilidade. 
  


"É geralmente desencadeada após uma infecção viral ou bacteriana (ainda que também possa ocorrer após vacinação, cirurgia, anestesia epidural, transplante de órgãos e medula óssea, linfomas, sarcoidose e uso de penicilina), que provoca paralisia ascendente (dos pés até a cabeça) progressiva e potencialmente fatal."

0 comentaram

domingo, 5 de fevereiro de 2012


. .
Como eu me vejo...


 E EU AMO!

0 comentaram

. .
Você sabe o que são as MPS?

Definição
  MPS é a sigla dada à um tipo de doença rara, chamada Mucopolissacaridose. É uma doença de depósito lisossômicos (DDL), pertencente ao grupo das doenças intituladas "Erros Inatos do Metabolismo", e portanto é caracterizada pela deficiência de enzimas.

"Nas MPS ocorrem deficiência ou falta de enzimas que digerem substâncias chamadas Glicosaminoglicanos (GAGS), antigamente conhecidas como mucopolissacárides e que deram nome à doença. Os GAGS são moléculas formadas por açúcares, que se ligam a uma proteína central, absorvem grande quantidade de água, adquirem uma consistência mucóide, viscosa, o que garante a essa estrutura uma função lubrificante e de união entre os tecidos, permitindo por exemplo o movimento das articulações (juntas) do corpo. Quando os GAGS não são digeridos corretamente, devido à deficiência de alguma enzima, eles ficam depositados no interior dos lisossomos e também são eliminados pela urina. "
2 comentaram

sábado, 4 de fevereiro de 2012


. .
Saiba mais sobre a Biomedicina

Aos calouros, que começarão o curso agora em 2012: vocês conhecem a Biomedicina? Assistam aos vídeos abaixo do programa "Faz o quê", da tv UFG, e tirem suas dúvidas.

0 comentaram

. .
Dez coisas que as bactérias podem fazer que você não consegue - Por Biomedicina Padrão



10 – Viver 34 mil anos
No Vale da Morte (EUA), pesquisadores encontraram cristais de sal que tinham minúsculas bolsas cheias de fluido. Nessas bolsas estavam bactérias com 34 mil anos de vida. Não uma espécie que tinha 34 mil anos; um organismo com 34 mil anos de idade que ficou em “coma” por milhares de anos. E elas não parecem ter mais de 30 anos.
9 – Ser seu próprio ecossistema
Em uma mina de ouro na África do Sul, não existem muito lugares para viver. Não tem sol, e muito menos plantas  e animais para fornecer os nutrientes necessários. Existe, no entanto, um tipo de bactéria. Ela só precisa do calor da mina e da água para retirar seu alimento dos elementos. Não há vida na mina além da Desulforudis audaxviator, o organismo mais autossuficiente do mundo.
8 – Fazer nanopartículas de ouro
Existe ouro por toda a terra, mas em apenas alguns lugares ele vem em forma sólida o suficiente que vale a pena coleta. E o principal motivo são as bactérias. Certas bactérias dissolvem o ouro em nanopartículas, e essas nanopartículas movem-se livremente através do solo até que elas acumulam-se em determinadas áreas.

7 – Brilhar no escuro
As bactérias são a fonte da maior parte da bioluminescência da vida marinha. Algumas lulas transportam bactérias em seus corpos que lhes permitem brilhar, e os peixes bioluminescentes têm muitas bolsas cheias de bactérias que produzem a enzima luciferase, que brilha no escuro. E não apenas sob luz negra.
6 – Ser o menor ninja do mundo
Nanobactérias ocupam apenas 20 nonômetros. Elas são um tanto controversas, desde que alguns cientistas acreditam que um pequeno espaço não possa carregar todos os componentes necessários para a vida. E talvez seja verdade. Na vida real, elas foram associadas a muitos problemas de saúde. Elas são silenciosas. Elas são irrastreáveis. E elas são mortais.
5 – Viver em Marte
Não estou dizendo que elas vivem. Mas poderiam. Descobertas de colônias de bactérias vivas em bolsas líquidas em vales secos na Antártica, mostram que elas poderiam, definitivamente, viver na superfície de Marte.
4 – Sobreviver em água fervente
A bactéria do botulismo, Clostridium botulinum, pode sobreviver à água fervente. E só quando a água é pressurizada, fervendo a uma temperatura mais alta, que ela morre.
3 – Modificar seus próprios genes
Bactérias ganham novas habilidades roubando genes de outras bactérias que elas encontram. Se humanos fossem capazes de fazer a mesma coisa, seria como sermos capazes de ganhar pintas depois de cuidar de uma onça. O processo é chamado de transferência de gene horizontal, e permite que bactérias ganhem, por exemplo, resistência aos antibióticos.
2 – Proteger-se de ambientes radioativos e tóxicos
Alguns tipos de bactérias que vivem em áreas radioativas têm trabalhado em maneiras de se defender contra essa radioatividade incorporando metais pesados. Isso não é só de interesse dos biólogos, mas também dos engenheiros, que estão trabalhando uma forma de usar essas bactérias para colher metais pesados. Humanos evitam o urânio. Bactérias pegam esse metal e usam como armadura.
1 – Digerir sua própria comida
Sim, você não pode nem fazer isso sozinho. Você precisa de bactérias para ajudar na digestão. E enquanto elas então lá, também protegem nosso organismo contra outros tipos de infecções, regulam seu sistema imune e, até mesmo algumas, como Lactobacillus e Bifidobacterium, lutam contra elementos que causam câncer.

0 comentaram

. .
Faça a diferença!

  Como sempre dizemos aqui no blog, nós queremos também levar responsabilidade social aos nossos leitores, promovendo o bem, a saúde, a paz, e a cidadania. Assista abaixo uma ideia muito bacana que da banda Chimarruts, na qual são mostrados vários projetos sociais no clipe da nova música "Em busca da fé".



O Biomedicina em Ação apoia ideias como esta!
Faça a diferença.
0 comentaram

. .
Especial Unip - 3° semestre

Essa postagem é especial para os acadêmicos do 3º semestre da Unip, mas é claro que cairá muito bem aos leitores do Biomedicina em Ação.

  Mais um semestre se inicia, e com ela as expectativas do que veremos, de como serão as aulas, enfim. É sempre uma ansiedade muito grande, já que cada período é como se fosse um ano em nossa vida acadêmica. E o que nos deixa mais ansiosos é quanto à grade curricular, que se renova a cada semestre, e com certeza vai tornando o curso mais interessante. Esta postagem tratará justamente disso.
  A intenção é apresentar de forma simples, rápida e clara, um pouco de cada disciplina. Vamos a elas:

1 comentaram

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012


. .
Áreas de atuação do Biomédico #04


"- Você é biomédico? Sim,eu sou!
- Ah, você é aquele que faz exames de sangue,não é?"

Quem nunca associou o biomédico ao laboratório de análises clínicas, que atire a primeira pedra! Embora essa não seja a única especialidade do profissional, é a área que ocupa o primeiro lugar no ranking das mais procuradas. 
O biomédico que buscar a área de análise clínicas, realizará exames, assumirá a responsabilidade técnica e firmar os respectivos laudos; executará o processamento de sangue, suas sorologias e exames pré-transfussionais; e assumir chefias técnicas, assessorias e direção destas atividades. 
Essa área é procurada por cerca de 80% dos biomédicos formados. Isso se deve justamente porque a maioria das faculdades que oferecem o curso, são voltadas para as análises clínicas. No entanto, atualmente muitas universidades formam profissionais especializados na área em que ele procurar seu estágio.
Dentre os exames a serem realizados pelos profissionais especializados em análises clínicas  estão os de sangue, fezes, urina e secreção protática, que são solicitados pelo médico.



PRINCIPAIS ÁREAS:
  • HEMATOLOGIA - ramo da biologia  que estuda o sangue . Além de estudar o estado de normalidade dos elementos sangüíneos e dos órgãos hematopoiéticos, estuda as doenças a eles relacionadas;
  • MICROBIOLOGIA - ramo da biologia  que estuda os microrganismos, incluindoeucariontes  unicelulares  e procariontes, como as bactériasfungos  e vírus. Atualmente, a maioria dos trabalhos em microbiologia é feita com métodos de bioquímica  e genética . Também é relacionada com a patologia, já que muitos organismos são patogênicos.
  • BIOQUÍMICA - A bioquímica é uma ciência  que estuda principalmente a química  dos processos biológicos que ocorrem em todos os seres vivos. A bioquímica é voltada principalmente para o estudo da estrutura e função de componentes celulares como proteínascarboidratoslipídiosácidos nucléicos  e outrasbiomoléculas.
  • PARASITOLOGIA - Parasitologia é a ciência que estuda os parasitas, os seus hospedeiros  e relações entre eles.
  • IMUNOLOGIA - Imunologia é a ciência que estuda os aspectos de defesa do hospedeiro contra a infecção e das conseqüências adversas das respostas imunes.


Fonte: Pet Farmácia
0 comentaram

. .
Mais uma fase


Muitos de nós, estudantes, voltaremos na próxima semana para aquela vida corrida, mas prazerosa de aulas, provas e trabalhos. É meus caros biomédicos, mais uma fase se inicia, e com ela vem a ansiedade, conquistas, medo de tentar o novo, enfim ... Que todos nós tenhamos força para mais esta etapa do caminho, que com certeza será de grandes realizações para todos nós.
Fazer o que amamos, e estudar para lutar por vidas realmente é o que nos deixa alegres e nos dá forças para enfrentar os obstáculos que aparecem.

É claro que o blog é voltado para as ciências biomédicas, mas aqui nós também queremos passar a todos o amor por nossa profissão, e nada melhor do que incentivar nossos colegas a começar esse período com o pé direito. Eu estava ouvindo esses dias, uma música chamada "Conselho", e resolvi postá-la aqui como forma de fazer com que pensemos, e comecemos com muita garra mais esta etapa. Você não precisa ser muito fã de samba, e a letra não é muito próxima do conselho que eu realmente gostaria de passar, mas tentem encaixá-la em suas vidas.

Este post é para quem está começando agora, para os que já estão no curso, para quem já se formou, mas especialmente para o pessoal do 2º e 3° ano matutino da Unip-Swift.




"Deixe de lado esse baixo astral

Erga a cabeça 

Enfrente o mal
Que agindo assim
Será vital para o seu coração

É que em cada experiência
Se aprende uma lição
Eu já sofri por amar assim
Me dediquei mas foi tudo em vão

Pra que se lamentar 
Se em sua vida pode encontrar
Quem te ame com toda força e ardor
Assim sucumbirá a dor (tem que lutar)

Tem que lutar 
Não se abater
Só se entregar
A quem te merecer

Não estou dando nem vendendo
como o ditado diz
o meu conselho é pra te ver, Feliz"

                                                         Conselho - Almir Guineto / Grupo Revelação

Fonte: 
http://www.vagalume.com.br/grupo-revelacao/conselho.html#ixzz1lLAzFYxo
2 comentaram
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...