terça-feira, 26 de novembro de 2013


. .
Vaga para Biomédico em Citologia - São Paulo (URGENTE)


PERFIL DA POSIÇÃO: ANALISTA ESPECIALIZADO EM CITOLOGIA
Local de trabalho: Zona Oeste de São Paulo - SP
Empresa: Laboratório de Análises Clínicas e Medicina Diagnóstica com atuação na América Latina e em todo território nacional.

PRINCIPAIS RESPONSABILIDADES DA FUNÇÃO
·      Leitura de lâminas e material citológico

PERFIL IDEAL DO (A) PROFISSIONAL
·      Graduação completa em Farmácia/ Bioquímica, Biologia ou Biomedicina
·      Possuir registro no conselho regularizado
·      Cursando especialização ou curso de aprimoramento na área de Citologia oncótica ou clínica.

REMUNERAÇÃO
Negociável, compatível com a função.

BENEFÍCIOS
Assistência Médica, Assistência Odontológica, Vale Alimentação, Seguro de Vida, Vale Transporte.

Interessados encaminhar CV para ccaparroz@claudiacaparroz.com.br com URGÊNCIA!
0 comentaram

terça-feira, 19 de novembro de 2013


. .
Palestra em Espírito Santo do Pinhal



Eu tive a honra de, nesta segunda-feira, dia 18/11/2013, em Espírito Santo do Pinhal-SP, palestrar sobre Circulação Extracorpórea na Faculdade UNIPINHAL, pela 1º Semana Acadêmica de Biomedicina. 
Agradeço a Professora MSc. Inês Martorano pelo convite e acolhimento e a todos os alunos e professores presentes na palestra. O meu muito Obrigado!


A palestra em Espírito Santo do Pinhal vem de encontro com o que eu penso sobre informação e educação: disseminação. A Circulação Extracorpórea precisa ser conhecida pela sociedade e principalmente pelos profissionais que podem exercê-la. Por isso julgo fundamental a participação dos Perfusionistas no interior do Brasil para informar os profissionais e sobre uma área tão nobre.
1 comentaram

sábado, 16 de novembro de 2013


. .
Classificação dos Leucócitos

0 comentaram

sexta-feira, 15 de novembro de 2013


. .
MALDI-TOF: nova tecnologia no laboratório de microbiologia clínica

Estive nesta semana no Fórum Permanente de Patologia Clínica, promovido pela Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp. O fórum tratou das novas tecnologias empregadas no laboratório clínico, e uma delas foi o Maldi-Tof.


O MALDI-TOF é uma tecnologia recente empregada nos setores de Microbiologia, cujo nome significa Matrix-Assisted Laser Desorption Ionization – Time of Flight. Trata-se de um método de identificação bastante rápido e preciso em relação a outros métodos de automação tradicionais que se tem no mercado.
Muitas das técnicas convencionais se baseiam na identificação dos microrganismos através de provas bioquímicas, analisando o seu fenótipo. O resultado destes métodos se dá entre 12 e 24 horas, o que atrasa a liberação do laudo e terapia antimicrobiana dos pacientes.
O MALDI-TOF é uma técnica de espectrofotometria de massa nova, que detecta moléculas de massa maior, como as proteínas. O teste então baseia-se na detecção de um grande espectro de proteínas, podendo então discriminar melhor as espécies. A espectrofotometria de massa é largamente utilizada em outras áreas, como a toxicologia, mas até então não era uma realidade na rotina dos laboratórios de microbiologia. “A evolução ocorreu quando a matriz utilizada para ionizar as proteínas foi mudada para que pudesse ionizar as proteínas ribossomais – estas bem mais conservadas do que as proteínas de superfície – o que levou à identificação de espécies e até subespécies de muitos microrganismos”.  
Koichi Tanaka (Shimadzu Corporation - Kyoto/Japão) ganhou o Prêmio Nobel 2002 em Química por desenvolver o método de ionização/dessorção para análises de espectrometria de massa em macromoléculas biológicas. O princípio tornou-se fundamental nos métodos padrões (MALDI, SELDI e DIOS) para análise estrutural de peptídeos, proteínas e carboidratos que torna possível a determinação rápida do conteúdo da proteína da célula intacta e do tecido vivo.
No teste, é necessário escolher a colônia a ser analisada, e posteriormente a amostra é dissolvida e colocada em uma placa contendo uma matriz polimérica. A placa é então irradiada com um laser de nitrogênio que vaporiza a amostra ionizando as moléculas que serão aspiradas e elevadas a um detector. Dependendo da molécula, o tempo de chegada será diferente (time of flight). Os dados obtidos através de gráficos que representam estas leituras serão comparados a uma base algorítmica de um site que contém um grande número de espécies de relevância clínica – incluindo microrganismos aeróbios, anaeróbios, microbactérias, leveduras e fungos filamentosos.
Preparação da amostra até a apresentação do gráfico. 
Maldi-Tof: como ocorre a espectrofotometria no aparelho. 
O procedimento é muito rápido, e diferente dos métodos convencionais, os resultados são dados em minutos, o que agiliza a liberação do laudo. Embora um dos pontos negativos seja o fato de o MALDI-TOF não obter parâmetros para antibiograma e este deva ser feito manualmente ou por outro método automatizado, o novo método de espectrofotometria dá indicações e diretrizes ao microbiologista referentes a resistências intrínsecas da bactéria.

Este vídeo é super bacana, e mostra o que o MALDI-TOF melhora ao ser implantado no laboratório. 


Fontes:
Richet Laboratório. 
Faculdade de Ciência e Tecnologia - Universidade Nova de Lisboa.
Schimatzu.
Biomériux. 
4 comentaram

. .
Biomédicos em Ação - IESA/Santo Ângelo-RS

Foto enviada por Etiene Lottermann


Estes são os formandos do curso de Biomedicina do Instituto Cenecista de Ensino Superior de Santo Ângelo- IESA (Santo Ângelo-RS). Da esquerda p/ direita em pé: Tatiane, Thaís, Anelise, Daiana, Etiene, Emanuela e Tatiele. Da esquerda p/ direita sentados: Alan, Elvis e Ricardo.

Quer participar do blog? Envie também a sua foto! Saiba mais clicando aqui
0 comentaram

. .
Legionella pneumophila - Uni-BH

Os estudantes de Biomedicina estão se mostrando cada vez mais criativos, tanto no que se refere à ciência ou às artes! O Pedro Paiva enviou para nós o trabalho da sua equipe, do curso de Biomedicina – 5º período - do centro Universitário de Belo Horizonte/Uni-BH - Minas Gerais. O vídeo sobre a Legionella pneumophila ficou muito bom! Parabéns aos envolvidos!

0 comentaram

. .
Bem-vindo!

Olá Pessoal! Meu nome é Élio Carvalho, sou Biomédico formado na 1º turma do Estado do Piauí, com muito orgulho. Sou Perfusionista pela Sociedade Brasileira de Circulação Extracorpórea e Microbiologista pela UNICAMP. Atualmente faço Mestrado em Pediatria pela FCM-UNICAMP e sou Membro da Diretoria da SBCEC. Com muita satisfação venho informar a todos nossos amigos do Blog Biomedicina em ação que terei a honra de conversar com vocês através de uma coluna mensal que intitulamos “A Biomedicina como ela é” em homenagem ao grande escritor Nelson Rodrigues. Nordestino, assim como eu, Nelson ficou mais conhecido ao tratar de todos os assuntos, inclusive criticando a sociedade e instituições de forma objetiva.  A intenção da coluna é fornecer visão crítica aos acontecimentos recentes da Biomedicina, fomentando a discussão da classe, assim como sua cinética, levando a tão desejada mobilização profissional. Também teremos momentos de informação como novidades no diagnóstico, na pesquisa, na biomedicina como um todo; dúvidas comuns dos recém formados, discussões sobre novas áreas. O diálogo está aberto e convido a todos para a roda. Porque a biomedicina não para, porque a Biomedicina está em ação.
3 comentaram

sábado, 9 de novembro de 2013


. .
Agrega valor - UC


Só uma coisa: ÓTIMO!!!
0 comentaram

segunda-feira, 4 de novembro de 2013


. .
Pirosequenciamento - Biologia Molecular

Estive em um evento na Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, promovido pela QIAGEN, uma empresa multinacional voltada à produção de equipamentos e kits para ensaios na Biologia Molecular. Um dos assuntos foi o pirosequenciamento, uma nova técnica que vem chamando a atenção.


O pirosequenciamento é uma nova técnica da Biologia Molecular, na qual a síntese de DNA ocorre através de um complexo de reações que inclui enzimas (ATP sulfurilase e luciferase) e substratos (adenosina 5’ fosfossulfato e luciferina). O grupo pirofosfato, liberado durante a adição de um nucleotídeo, resulta na produção de luz detectável. Portanto, quando um novo nucleotídeo é incorporado em uma cadeia crescente de DNA através da DNA polimerase, pirofosfato é gerado de maneira estequiométrica, resultando na produção de ATP. O ATP produzido leva à conversão enzimática da luciferase com emissão de fótons. À medida que os componentes da reação diminuem, um novo ciclo de reagentes é introduzido e então a incorporação de nucleotídeos específicos é avaliada de maneira sequencial.
A técnica baseia-se no sequenciamento e na síntese de DNA, fornecendo dados em minutos, assim como o mesmo conceito da reação de PCR Real Time, que é a obtenção de resultados rápidos. Os passos do pirossequenciamento seguem abaixo:

Passo 1:
Fazer a extração do DNA a ser sequenciado e amplificado.

Passo 2:
Um primer de sequenciamento é hibridizado para a amplificação de PCR de uma cadeia simples, sendo que o produto desta reação servirá como molde, e incubação com as enzimas DNA polimerase, ATP sulfurilase, luciferase, apirase, e também os seus substratos adenosina 5’ fosfossulfato (APS) e luciferina.

Passo 3:
O primeiro desoxirribonucleotídeo trifosfato (dNTP) é adicionado à reação. A DNA polimerase catalisa a incorporação do dNTP na fita de DNA, se este for complementar à fita molde. Cada evento de incorporação é acompanhado pela liberação de pirofosfato (PPi) numa quantidade equivalente à quantidade de nucleotídeo incorporado.

Passo 4:
ATP sulfurylase converte PPi para ATP na presença de adenosina 5’ fosfossulfato (APS). Esse ATP dirige a conversão mediada pela luciferase, de luciferina para oxiluciferina, que gera luz visível em quantidades proporcionais à quantidade de ATP. A luz produzida é detectada por um chip e vista como um pico na saída de dados de um software. Cada pico (sinal de luz) é proporcional ao número de nucleotídeos incorporados.

Passo 5:
A apirase, uma enzima de degradação de nucleotídeos, continuamente degrada nucleotídeos não incorporados e ATP. Quando a degradação está completa, mais nucleotídeos são adicionados.

Passo 6:
A adição de dNTP é realizada sequencialmente. Deve-se notar que o trifosfato de desoxiadenosina alfa-tio (dATP) é utilizado como um substituto para o natural desoxiadenosina trifosfato (dATP), uma vez que é utilizada eficientemente pela DNA polimerase, mas não é reconhecido pela luciferase. Enquanto o processo continua, a cadeia complementar de DNA é construída e a sequência nucleotídica é determinada a partir dos picos de sinal do rastreio.

Algumas aplicações
·      Estudo de deleções.
·      Quantificação de frequência de mutações.
·      Metilação – sequenciamento das ilhas CpG encontradas em regiões promotoras.

O vídeo abaixo explica como ocorre a síntese a liberação de luz para a formação dos picos em tempo real.


Fontes:
Texto modificado: Ministério da Ciência e Tecnologia.
Texto traduzido: Catálogo do PyroMark Q24 da QIAGEN.
Vídeo: youtube. 
2 comentaram
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...