terça-feira, 24 de janeiro de 2012


. .
TOC - Transtorno Obsessivo Compulsivo


Muitas pessoas talvez tenham algumas manias, que às vezes nem sabem que se trata de um transtorno cerebral. Eu preciso confessar que, como muita gente, sofro de Transtorno Obsessivo Compulsivo - TOC, e compreendo que não é apenas uma mera mania, mas sim algo que nos atrapalha bastante nas atividades simples do cotidiano. Para mim, ler sobre isso, e escrever aqui no blog será uma tarefa um tanto angustiante e estressante, mas será bom falar disso com vocês. Pode até parecer engraçado, mas para quem tem a doença, é muito angustiante, é como uma tortura diária, que se não tratada, parece nunca ter fim.




Mas o que é o TOC?

Como dito acima, trata-se do Transtorno Obsessivo Compulsivo, caracterizado por pensamentos ansiosos de obsessão ou compulsão, que se apresentam em forma de sintomas como repetições e tiques nervosos. Este é um problema raro considerando outros tipos de transtornos, porém cada vez mais frequente, que atinge cerca de 2%, e até os anos 80 era considerado incurável, e traz um grande sofrimento diante de suas características clínicas e sociais. Normalmente desenvolve-se em pessoas com idade abaixo dos 25 anos, sem definição de causas verdadeiras, mas que podem ser de origem biológica ou psicológica.  
Como ainda não é um assunto muito discutido, o paciente que apresenta sintomas deste transtorno se vê reprimido diante à sociedade, principalmente quando falamos de pacientes que estão na infância ou adolescência. Querer ocultar os sintomas com medo de represália, mediante a vergonha de expor suas dificuldade de lutar contra isso pode ocasionar outra doença, a depressão.

Mesmo que se desconheça a causa do transtorno, "uma grande incidência do TOC foi observada em grupos familiares, onde várias pessoas dessa mesma família são acometidas. Em gêmeos idênticos a incidência é de 20 a 40 vezes maior que na população em geral. Daí a hipótese de ser uma doença que apresente um fator genético", diz Marilena Henrique Teixeira Netto, em seu artigo "TOC - Transtorno Obsessivo Compulsivo".
A doença se manifesta de diversas formas, e pode ser controlada por alguns medicamentos ou não. Soube de casos em que o paciente, ao atravessar a rua, acreditava que se não voltasse e a atravessasse cinco vezes, seu pai morreria. Outros casos em que o TOC restringe-se a contar letras das palavras que vê, a não pisar em linhas, a lavar as mãos várias vezes ao dia, a verificar se a porta está fechada, ou mesmo a ter que tocar um objeto com os dois lados do corpo e quanto à exatidão e alinhamento. Diante dessa diversidade, o TOC é divido em grupos como: início precoce, associado a tiques ou ao transtorno de Tourette (tiques motores e vocais) e relacionado a um tipo de bactéria que produz infecções de garganta e febre reumática.
Mas devemos considerar o fato de que alguns rituais que podem parecer compulsivos são apenas manias ou superstições. O sinal para que o paciente procure ajuda para avaliar o nível ou o tipo de transtorno, e assim tratá-lo se dá quando essas manias começam a incomodar, a atrapalhar atividades diárias, a ocasionar mudanças repentinas de humor, e se tornam excessivos.


Como tratar?

O TOC é sim uma doença, que mesmo parecendo branda, é terrivelmente prejudicial à vida do paciente. Quando diagnosticada, pode ser tratada com Terapia Comportamental, que á um tratamento muito indicado a pacientes que tiveram suas vidas prejudicadas pela doença, podendo haver internações. Não obstante, na maioria dos casos o tratamento se dá por medicamentos que bloqueiam o transporte de serotonina que, em indivíduos com índices de depressão, se encontra em níveis elevados. Sendo assim, os medicamentos utilizados no tratamento deste trantorno estão diretamente ligados aos antidepressivos.
Ao contrário do que possa parecer, o paciente têm plena consciência de que algo está fora do normal, mas tem medo de que as pessoas achem graça da situação. Reconhecer a doença e procurar por ajuda é o primeiro passo para o tratamento.

O TOC não tem graça. Tem tratamento.

Até a próxima postagem!

TORRES, A. R.; MIGUEL, E. C. Um suplemento de atualização em transtorno obsessivo-compulsivoRev. Bras. Psiquiatr. vol.23  suppl.2 São Paulo Oct. 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462001000600001

0 comentaram

0 comentários :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...