Mostrando postagens com marcador BIOMÉDICOS EM AÇÃO. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador BIOMÉDICOS EM AÇÃO. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 28 de março de 2019


. .
Plasma Rico em Plaquetas e Plasma Rico em Fibrina



Nos últimos anos, os estudos sobre o processo de coagulação se expandiram, e trouxeram à comunidade científica novas possibilidades de tratamentos que podem ser aplicados em diversas áreas, como odontologia, ortopedia, medicina esportiva, reumatologia, oftalmologia, dermatologia, estética dentre outras. Tais estudos envolvem os chamados PRP e PRF, aplicações promissoras para em vários campos pela rapidez e simplicidade dos métodos. Mas o que são PRP e PRF?
Ambos são métodos autólogos, de caráter não transfusional; ou seja, utiliza-se o sangue do próprio paciente para o procedimento. A sigla PRP vem do inglês “platelet rich plasma (plasma rico em plaquetas), também denominado plasma rico em fatores de crescimento (PRGF) ou concentrado de plaquetas (PC). Trata-se da concentração de plaquetas autólogas suspensas em uma pequena quantidade de plasma após a centrifugação que, com utilização de anticoagulante, resultada em um produto líquido que é indicado para tratamento menos complexos. É clinicamente usado para fornecer fatores de crescimento em altas concentrações para o local a ser regenerado ou para uma região que requer aumento.
Já a sigla PRF significa “platelet rich fibrin”, com tradução para o português de fibrina rica em plaquetas. Trata-se de um biomaterial de fibrina autóloga, rica em plaquetas e leucócitos, com uma composição específica e arquitetura tridimensional. O PRF é classificado como um concentrado de plaquetas de segunda geração, pois é preparado como um concentrado natural sem a adição de quaisquer anticoagulantes, permitindo obter membranas de fibrina enriquecidas com plaquetas e fatores de crescimento. O produto final tem consistência de gel, devido à presença da fibrina. É indicado para procedimentos de média e alta complexidade.
Os procedimentos de PRF e PRP ficaram mais conhecidos quando divulgados pela mídia no tratamento clínico e estético de algumas celebridades, como o jogador Neymar. Embora pareçam novas, há anos de estudos para que pudesse ser discutido sobre sua real eficácia. 

Ficou interessado no assunto? A Universidade Paulista – UNIP, de Campinas, está com um curso presencial de Capacitação em Fibrina Rica em Plaquetas (PRF), Plasma Rico em Plaquetas (PRP) e Venopunção, Bases Biológicas e Aplicações Clínicas.
  

Responsável: Profa. Dra. Maristela Cesquini – Bióloga pela Unicamp, mestre e doutora em Biologia Funcional e Molecular (área de concentração Bioquímica). Realizou pós-doutorado em Clínica Médica também pela Unicamp. Professora Titular de Bioquímica na Universidade Paulista para os cursos de Biomedicina, Farmácia, Medicina Veterinária e Odontologia.

Público: graduados em cursos superiores na área da saúde reconhecidos pelo Conselho Nacional de Educação.

Para maiores informações, clique aqui.
*Descontos especiais para ex-alunos e empresas conveniadas.

Fontes:
COSTA, P. A. SANTOS, P. Platelet-rich plasma: a review of its therapeutic use. Disponível em: <http://www.rbac.org.br/artigos/plasma-rico-em-plaquetas-uma-revisao-sobre-seu-uso-terapeutico/>. Acesso em 27/03/2019.
SOARES, R. P. et al. Plasma rico em plaquetas em lesões de joelho. Rev. Assoc. Med. Bras. vol.56 no.3.São Paulo. 2010.
1 comentaram

quinta-feira, 30 de novembro de 2017


. .
Alunos fazem fotos para conscientizar sobre o câncer de próstata l Biomédicos em Ação

Mais uma vez, os alunos do estágio do curso de Biomedicina da Universidade Paulista – UNIP, de Jundiá, interior de São Paulo, vieram aqui para o blog! O pedido foi em dose dupla, da Gabriela Fantini é aula do último ano e supervisor do estágio, a biomédica Neu Rocha. E assim como o “outubro rosa”, a conscientização da prevenção do câncer de próstata é muito importante! Os alunos fizeram fotos sobre o tema, e claro, estão aqui no Biomedicina em Ação!








0 comentaram

sexta-feira, 10 de novembro de 2017


. .
Entrevista: Mayara Montani Reis - Microbiologia de Alimentos


1. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Mayara, onde você cursou Biomedicina? Quando se formou?

Mayara: Me formei em 2011, no Centro Universitário Lusíada – UNILUS em Santos/SP.

2. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Como começou a paixão pela Biomedicina e o que mais lhe chamou atenção no curso?

Mayara: Meu interesse na biomedicina surgiu com a ideia de atuar em pesquisa, por isso, logo no primeiro ano de faculdade iniciei minha iniciação científica na UNIFESP. Após dois anos de pesquisa na área de hepatologia desisti de continuar, pois a IC estava me conduzindo para a área acadêmica, mas não era isso que eu queria na época. Decidi que eu precisava adquirir experiência, então comecei a procurar, e consegui um estágio em análises clínicas. Depois do estágio eu pude ter certeza que não queria trabalhar em hospitais e que eu precisava sair da minha zona de conforto para obter sucesso, diferencial e etc. Foi assim que surgiu a Micro de Alimentos.

3. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Quais características você acredita serem essenciais para um bom biomédico?

Mayara: O biomédico deve gostar do que faz, se adaptar a rotina, ser capaz de trabalhar com uma equipe pequena ou sozinho. A profissão não é muito valorizada, principalmente financeiramente, por isso, é essencial que o profissional busque diferenciação e ame o que faz.

4. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Você é pós-graduada em Microbiologia de Alimentos e Gestão da Segurança de Alimentos. Como e quando se interessou pela área? Onde fez sua especialização?

Mayara: Eu comecei a me interessar por essa área no último ano de faculdade, nas aulas de Bromatologia. Mas como não é o foco do curso, precisei procurar uma formação complementar e me especializar na área. Fiz minha especialização em São Paulo, na SBM – Sociedade Brasileira de Microbiologia. No final das contas foi a melhor coisa que eu fiz, me capacitei e hoje atuo em um segmento incomum e promissor para o biomédico.

5. BIOMEDICINA EM AÇÃO: A maioria dos biomédicos que se formam, atuam em análises clínicas. O que você acha desse grande leque de oportunidades além do laboratório clínico, e quais dificuldades você encontrou para se inserir nesse mercado?

Mayara: Eu acho que existem muitas possibilidades além da área de análises clínicas, mas é essencial que o profissional escolha a área de atuação considerando vários aspectos, como paixão, identificação, retorno financeiro e crescimento profissional. Também é importante considerar a empresa, pois o desenvolvimento e reconhecimento profissional dependem e variam muito de empresa para empresa. Não encontrei muitas dificuldades para me inserir nesse mercado, acredito que oportunidades surgem para quem acredita e corre atrás.

6. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Quais atribuições o biomédico deve ter para seguir a área de Microbiologia de Alimentos?

Mayara: Para atuar nessa área é necessário procurar um estágio durante a faculdade ou um curso de especialização.

7. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Onde o biomédico habilitado em Microbiologia e Alimentos pode atuar?

Mayara: Esse profissional pode atuar em laboratório de análise, em empresas, fábricas e consultorias na área.

8. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Como está o mercado para o biomédico nesta área e com quais outros profissionais de trabalha?

Mayara: O campo é limitado, como em diversas outras áreas, por isso é essencial ter, além de um bom currículo, experiência (estágios, trainees). Nessa área trabalhamos e concorremos com biólogos, nutricionistas, farmacêuticos, técnicos em alimentos ou nutrição, engenheiros de alimentos, entre outros.

9. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Dizem que a Biomedicina é a profissão do futuro. O que você acha disso? Mudaria alguma coisa para melhorar a nossa área?

Mayara: Acredito que sim, mas a biomedicina precisa ser mais valorizada pelo mercado e melhor explorada pelo próprio profissional. Se nos especializarmos, podemos atuar em diversas frentes e dominar o mundo. Brincadeiras a parte, o Biomédico não é capacitado somente em análises clínicas, ele precisa focar em habilitações que possibilitem ser um diferencial, que sejam inovadora e tragam o retorno esperado.

10. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Qual a sua dica para quem está começando na Biomedicina?

Mayara: O Biomédico tem uma ampla área de atuação (https://crbm1.gov.br/habilitacao). Minha dica é buscar uma área diferenciada e investir nela.


PERGUNTA DO LEITOR Felipe Trisotto: O biomédico bromatologista pode atuar no desenvolvimento e análises bromatológicas em nutrição animal?

Mayara: Pode, mas isso pode variar entre as empresas.

Considerações finais:
Gostaria de agradecer a oportunidade de escrever no blog. Minha intenção é compartilhar conhecimento e minha experiência na área de alimentos. Quero também me colocar à disposição para esclarecer dúvidas e questionamentos.
Obrigada!

Mayara Reis
0 comentaram

quarta-feira, 8 de novembro de 2017


. .
Alunos fazem fotos para conscientizar sobre o câncer de mama l Biomédicos em Ação

A Gabriela Fantini é aula do último ano do curso de Biomedicina da Universidade Paulista – UNIP, de Jundiá, no interior de São Paulo. Ela entrou em contato conosco para divulgar as fotos que a turma fez sobre o outubro rosa, como forma de conscientização da prevenção do câncer de mama. E é claro, como a conscientização deve ser todos os dias, não importa se é outubro ou não, eles vieram parar aqui no “Biomédicos em Ação”!











Bacana né?! Quer participar do blog? Faça como a Gabriela, envie também a sua foto! Saiba mais clicando aqui.


0 comentaram

sábado, 19 de novembro de 2016


. .
CRBM homenageia biomédicos com vídeo em stop motion

Para homenagear os biomédicos, já que o nosso dia está chegando, o CRBM 1ª Região em parceria com o canal Bricking Science, criou um vídeo em stop motion. Uma linda e super bacana homenagem a todos nós! Confiram:



PARABÉNS A TODOS OS BIOMÉDICOS!!!
0 comentaram

domingo, 13 de novembro de 2016


. .
Biomédicos promovem curso em prol de construção de hospital


Os biomédicos do Hemocentro do Amazonas estão de parabéns! Estão organizando um curso de Imunohematologia, para arrecadas fundos visando a construção do Hospital de Sangue.
O curso de Imunohematologia acontecerá de 09 a 18 de dezembro/2016, e contará com conteúdo teórico e prático, com carca horária de 32 horas.
Imagina que incrível aprender, se aprimorar, e ainda por cima, contribuir para uma causa nobre como essa.
As informações estão no folder abaixo, e você pode se inscrever acessando o site: Fundação Sangue Nativo

 


0 comentaram

segunda-feira, 7 de novembro de 2016


. .
Biomédicos em Ação - FIT/UNAMA


A Ana Paula Martins enviou a nós uma foto em que ela, junto com a sua turma de Biomedicina da FIT/UNAMA, visitaram o Laboratório de Anatomia da UEPA. Segundo ela “foi uma experiência incrível” e ela quis eternizar esse momento através do Biomedicina em Ação!

Bacana né?! Quer participar do blog? Faça como a Ana Paula, envie também a sua foto! Saiba mais clicando aqui.
0 comentaram

. .
Novembro Azul: o alerta contra o câncer de próstata

O Biomedicina em Ação sempre abriu espaço para troca de experiências, e para que todos possam interagir com nossos leitores. Por isso, recebemos um e-mail do Danilo, aluno de graduação da Unip, Campus Assis. Ele escreveu sobre um assunto de grande importância, principalmente agora em novembro: o câncer de próstata. Confira o texto:

“Segundo o INCA (Portal Nacional de Câncer) no Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens. 
A próstata é um órgão que faz parte do aparelho reprodutor masculino e sua principal função é produzir parte do líquido que forma o sêmen. O principal fator de risco para o câncer da próstata é a idade e o histórico familiar.
Existe tratamento e acompanhamento para tratar e evitar o câncer de próstata. 
Os Biomédicos que atuam em Laboratórios de Análises Clínicas dosam uma proteína chamada Antígeno Prostático Específico (PSA) que é realizado através da coleta de sangue venosa para saber se existe uma alteração evidenciando um câncer de próstata assintomático. 
É importante que o paciente siga as instruções de pré coleta 3 (três) dias antes da realização do exame, para evitar que afaste o diagnóstico precoce da doença. 
Em caso de dúvidas procure o seu médico, o diagnóstico precoce preserva o seu futuro.”

Danilo Leônidas Ferreira da Silva, Acadêmico de Biomedicina pela Universidade Paulista - UNIP Assis  


0 comentaram

quinta-feira, 21 de abril de 2016


. .
Concurso Público - São Vicente, SP


A Prefeitura Municipal de São Vicente, litoral de São Paulo, está com concurso público aberto para biomédico com habilitação em análise ambiental. São duas vagas, com remuneração de R$ 2.742,68 para uma carga horária de 40 horas.

A quem se interessar, acesse o edital clicando aqui. As inscrições podem ser realizadas até o dia 29 de abril. 
0 comentaram

sexta-feira, 20 de novembro de 2015


. .
20 de novembro!


0 comentaram

terça-feira, 8 de setembro de 2015


. .
Não seja mais um. Seja diferente!

A endometriose é uma doença que acomete muitas mulheres, mas que ainda hoje é negligenciada e pouco estudada pela comunidade científica. Isso faz com que as formas de diagnóstico sejam escassas, e o tratamento lento e traumatizante.
Créditos na imagem.
Ela é caracterizada pela presença de endométrio (tecido que reveste o interior do útero), fora da cavidade uterina, ou seja, em outros órgãos da pelve, como trompas, ovários, intestinos e bexiga.
Se não tratada, as consequências da endometriose podem variar, entretanto, as principais são a formação de aderência nos órgãos abdominais, infertilidade e comprometimento de órgãos como ovário, útero, bexiga e intestinos.
O comprometimento do útero foi o que aconteceu com a tia de Georgia Gabriela, de 19 anos. Muito possivelmente você já ouviu falar deste nome. Georgia é uma estudante brasileira, que saiu de Feira de Santana, a 100 quilômetros de Salvador, BA, e alcançou primeiro a oportunidade de estar em Harvard, foi aprovada em 9 universidades americanas, e decidiu por Stanford. 
A estudante se interessou pelo assunto quando viu a doença de perto, e então percebeu o quão pouco se fala na doença, e que no Brasil, as pesquisas acerca do tema não são muito precisas e não evoluem. Ela foi selecionada para um programa em Harvard, onde teve a oportunidade de mostrar seu projeto a grandes pesquisadores da área. Também através do seu projeto, foi selecionada em Stanford, e foi convidada a ministrar uma palestra na conferência TED, que reúne grandes pensadores e idealizadores de projetos, para contar de suas vidas em 18 minutos ou menos. O trabalho da estudante consiste em encontrar uma forma de diagnóstico da endometriose mais eficaz, acessível e invasiva.
Georgia Gabriela, em palestra na conferência TED. 
Esta notícia da aprovação de uma brasileira, vinda de uma cidade da Bahia, em 9 (!!!!) universidades americanas não é nova. Mas a partir da história de Georgia, queremos chamar atenção para alguns pontos.
O primeiro deles é a falta de incentivo à pesquisa no Brasil. Quem acompanha o cenário científico brasileiro sabe o quão precário e difícil é ser cientista por aqui. A começar pelo fato de que cientista não é profissão, é um eterno “estudante”. Haja vista o grande barulho causado pela neurocientista Suzana Herculano-Houzel (assunto para outra postagem), que defende a profissionalização do cientista. Vemos trabalhos não concluídos por corte de verbas, e grandes mentes saindo do país para fazer ciência fora, onde o incentivo é maior (como a própria Georgia está fazendo). E nós só perdemos com isso.
Outro ponto em questão é a força de vontade. Aqui, destacamos o fato de sair da sua zona de conforto, e alcançar lugares nunca imaginados, e com a humildade de olhar a realidade a sua volta. Georgia está em Stanford pelo impulso que teve ao ver a sua própria comunidade, e querer mudar.  
É fácil ir todos os dias a uma faculdade, sentar e ouvir o professor falar. Mas é importante pensar: “o que eu posso fazer com todo esse conhecimento?”. Chega a ser egoísmo guardá-lo todo para si. É claro que a história de Georgia é um tanto incomum de se ver, mas... porquê não? De fato, é importante “pensar fora da caixa” para alçar voos maiores. Não seja só mais um. Seja diferente!



Vale a pena conferir a palestra da estudante Georgia Gabriela, na TED:



E querem um bônus? O Luiz Guilherme, da página Vida de Biomédico, está nos EUA pelo CsF, e também teve a oportunidade de estagiar em Harvard. Vale a pena conferir os vídeos no canal do youtube: Luiz Hendrix.

Fontes:
1 comentaram

sábado, 1 de agosto de 2015


. .
Livros: qual é o melhor para estudar?



Para dar início à nossa maratona de postagens no mês de agosto, vamos falar de um assunto bastante relevante: livros! Durante a faculdade vivia na biblioteca, e mesmo agora, não me distanciei dos livros.
Na faculdade, todo mundo me pedia indicações de qual livro estudar para determinada disciplina, e por isso, resolvi indicar alguns para os leitores do Biomedicina em Ação! Reforço que a maneira como cada um estuda é muito específica e pessoal. Cada um se encontra em um livro... outros preferem somente as aulas e artigos (aqui você pode ler um artigo sobre dicas para manter uma rotina de estudos). De qualquer forma, espero que os livros recomendados aqui sirvam para guia-los nas suas escolhas!

Bioquimica


 A bioquímica é sempre um problema para muitos estudantes, já que parece ser muito complicada. O medo se torna ainda maior quando nos deparamos com o famoso Lehninger. “Os princípios de bioquímica do Lehninger”, de Nelson e Cox, é provavelmente o livro mais completo, tratando-se de bioquímica estrutural,  metabólica e molecular. Entretanto, é uma leitura um pouco pesada e extensa, e pode não agradar a maioria das pessoas.
Sendo assim, uma excelente opção é o “Bioquímica”, de Campbell. O livro é dividido em três volumes: bioquímica estrutural, molecular e metabólica, respectivamente. Particularmente, este é um dos melhores livros para se estudar bioquímica. É extremamente didático, completo, mas não extenso como o Lehninger.
Uma outra opção, é “Bioquímica Básica”, de Anitta Marzzocco. Ele é bem sucinto, e é o preferido dos estudantes. Entretanto, não é indicado para quem quer se aprofundar e aprender mais sobre bioquímica.
Para bioquímica clínica, uma ótima opção é o “Bioquímica Clínica para o Laboratório”, de Motta. É um livro de fácil entendimento, que pode ser muito utilizado durante e após a faculdade. Um livro menor, recomendado para consulta, é o “Bioquímica Clinica” de Gaw. Trata-se de um livro muito interessante e didático, com vários casos clínicos e interpretação de resultados.

Parasitologia



Para parasitologia, uma ótima opção é o “Parasitologia Humana”, de Neves. É um livro de escrita clara e fácil entendimento. Há também o “Parasitologia Médica”, de Leventhal e Cheadle, uma excelente opção de texto e atlas.

Hematologia


Um dos livros mais indicados de hematologia é o “Tratado de Hematologia”, de Zago. Há também outros mais sucintos, mas que podem ajudar muito nos estudos. São eles: “Manual de Hematologia – Propedêutica e Clínica”, de Therezinha F. Lorenzi;  “Hemograma – como fazer e interpretar”,  de Oliveira; “Hematologia Básica”, de Azevedo; “Fundamentos em Hematologia”, de Hoffbrand.
 Outra indicação é o livro “156 perguntas e respostas de Hematologia”, da série de livros organizada pela biomédica Camem Paz Oplustil.

Microbiologia


Três bons livros podem ser facilmente encontrados e poderão ser muito úteis para estudar microbiologia. São os livros dos autores Trabulsi, Tortora e Murray. Para algo mais específico (microbiologia clínica), três livros são indicados: “Procedimentos básicos”, de Carmem Paz Oplustil (é um livro excelente!), que podem ser complementado pelo “156 perguntas e respostas de Microbiologia Clinica”, da série de livros organizada pela mesma autora; o livro texto e atlas, amplamente utilizado nos laboratórios clínicos, “Diagnóstico Microbiológico”, de Koneman. 
Ainda, uma excelente complementação são os manuais da Anvisa, que vão do Módulo 1 ao 9, e tratam desde a biossegurança, a organização do laboratório, à análise microbiológica e interpretação dos resultados.  

Anatomia


Começando pelos livros texto, Dângelo e Fantini é um livro bem sucinto e de fácil entendimento. Outro livro recomendado também é “Fundamentos de Anatomia e Fisiologia”, de Tortora.

Quanto aos atlas, o mais famoso com certeza é o Sobotta, seguido pelo Netter. O atlas do autor Yokochi pode agradar a quem busca por imagens reais, e para quem quer adquirir um atlas e pagar menos, uma boa opção é o Grant, que traz imagens e um sucinto texto explicativo. 

Fisiologia



Embora muitos outros livros sejam mais diretos, o “Tratado de Fisiologia”, do Guyton é o mais completo. Mesmo que não pareça, é uma leitura fácil e envolvente, e é um livro indicado para outras disciplinas, por ser extremamente completo.

Imunologia


Para imunologia, com toda certeza, os livros recomendados são todos do autor Abbas. São extremamente didáticos, com figuras muito explicativas. Um livro extra para este tópico é o “Imunoensaios – Fundamentos e Aplicações”, de Adelaide J. Vaz.

Histologia e Citologia

 

Quando pensamos em Histologia e Citologia, Junqueira e Carneiro são os primeiros que, automaticamente, lembramos. E de fato, são livros muito bons, e que devem ser apreciados por serem nacionais.



Aprofundando em Citolopatologia Ginecológica, este livro de Koss e Gompel é excelente, e auxilia muito nos estudos.
  
Genética



O principal livro de genética, sempre indicado e que está nos editais de concursos é o Thompson & Thompson. Outro muito utilizado pelos estudantes, é o “Introdução à Genética”, do Griffthis (o famoso “livro da borboleta”).

Patologia


Robbins é o principal nome. De fato, é o livro mais completo, com as melhores imagens e explicações. Entretanto, outro livro que pode agradar é o “Patologia Geral”, do Bogliolo.

Urinálise


Um bom livro para estudar urinálise, é o livro “Exame de Urina e de Fluidos Corporais de Graf, com texto e imagens que ajudarão a complementar os estudos.

*************************************************
Ressaltamos que estas são apenas sugestões. Encontre o que mais seja adequado a você e às suas necessidades, que esteja disponível na biblioteca, e caso vá adquirir algum, escolha os que mais sejam adequados a você.

Faltou algum livro aqui? Deixe nos comentários a sua sugestão!
11 comentaram

terça-feira, 28 de julho de 2015


. .
Semana Acadêmica da Biomedicina UFRGS

Estão abertas as inscrições para a IX Semana Acadêmica da Biomedicina da UFRGS, que acontecerá de 31 de agosto a 04 de setembro, deste ano. E a programação está bem bacana:



As inscrições vão até o dia 24 de agosto, e para se inscrever (clique aqui)é só seguir as instruções presentes no site do evento.

Informações e inscrições: www.sabiomedufrgs.blogspot.com.br

0 comentaram

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015


. .
Rotina de estudos para provas

A Biomedicina é uma das profissões em que NUNCA se deve parar de estudar. O conhecimento nunca está completo, e é preciso que nos atualizemos a cada dia. O post de hoje é uma dica principalmente aos graduandos e alunos de pós-graduação. É claro que trata-se apenas de uma dica, e não existe uma fórmula para se dedicar aos estudos e se dar bem nas disciplinas. Mas vem ver como eu me organizava na graduação para não acumular conteúdo para a véspera da prova!

Passo 1:
Anote o que o professor fala. Sempre. Aproveite o momento da aula para se inteirar do assunto, e fazer essas anotações. Assim, quando estiver estudando em casa, ficará muito mais fácil lembrar da aula.

Passo 2:
Se o professor passa os slides da aula, faça bom proveito disso. Uma boa dica é seguir o conteúdo dos slides, mas não se prender somente à eles. Tenha em mãos também um livro da disciplina. O livro é sempre a melhor ferramenta para se aprofundar no assunto e tirar dúvidas, já que você não tem o professor a todo o momento com você.

Passo 3:
Pegue um caderno de estudos (extra), e junte as suas anotações da aula com o conteúdo dos slides e trechos do livro. Assim você terá 3 fontes de apoio aos estudos!

Passo 4:
Provavelmente surgirão muitas dúvidas durante os seus estudos. Anote todas.

Passo 5:
Para sanar as dúvidas, procure o professor ou discuta com colegas.

Passo 6:
Chegou a véspera da prova e você estudou com calma, agora é só revisar! Para isso, pegue o seu caderno de estudos, e sente na frente do computador. Esqueça o facebook por alguns instantes e abra o google e o youtube! Releia todo o conteúdo que você estudou, e procure por vídeos, blogs e artigos sobre o assunto. Assim, na véspera da prova você já vai estar com todo o conteúdo na cabeça, e só vai relembrar, de uma forma mais tranquila do que ter que “enfiar a cara nos livros”. J

Ah, e para quem não consegue se concentrar de forma alguma, temos uma outra dica! É só clicar aqui para conferir!
Se vocês gostaram dessa forma de estudar, comentem em baixo, ou ainda compartilhe nos comentários como é a rotina de estudos de vocês!
0 comentaram
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...