Mostrando postagens com marcador BIOÉTICA. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador BIOÉTICA. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 19 de agosto de 2015


. .
Os Meninos do Brasil - FILME


Os Meninos do Brasil é um filme de 1978 (vocês encontram também o livro), que faz menção às barbaridades do nazismo e aborda sob uma temática de ficção científica, a clonagem humana. A história tem como protagonista o médico Joseph Mengele (Gregory Peck), que fez milhares de experiências genéticas com judeus (inclusive crianças), viveu no Paraguai e planejou o nascimento do 4º Reich. Para obter tal objetivo, utiliza várias mães de aluguel em uma clínica brasileira para fazer 94 clones de Hitler quando ele era um garoto, e enviá-los para serem adotados em diversos países.
Além disso, Mengele escolhe famílias que se pareçam com a de Hitler e cria situações para traçar o psicológico dos garotos clonados. Entretanto Ezra Lieberman (Laurence Olivier), um judeu que é um caçador de nazistas, descobre a trama e tenta impedir que tal plano se concretize.


Apesar de ficção científica, o filme trata da realidade. Mengele foi um médico alemão, conhecido como “Anjo da Morte” que se filiou ao partido nazista na Segunda Guerra Mundial. Ao final da guerra, ele fugiu para a América do Sul, passando pelo Brasil, onde montou um laboratório para realizar suas experiências genéticas. 


Há questionamentos sobre a veracidade das experiências com clones apresentada no filme. Isto porque em Cândido Godói, uma pequena comunidade no sul do Brasil, há mais de 50 pares de gêmeos, sendo a maioria deles loiros e de olhos azuis. Os rumores indicam que possivelmente um médico alemão passou por lá, e relatos de que foram feitas muitas experiências com gêmeos e mulheres, com aplicação de medicamentos desconhecidos e inseminação artificial.

Gêmeos de Cândido Godói
Alguns pesquisadores descartaram o envolvimento de Mengele com esse fenômeno, mas obviamente, os rumores continuaram. Esse foi o tema de um documentário da National Geographic: “Os gêmeos de Mengele”.

Gostou e quer assistir ao filme? 

**********************************************************************
Este é um filme que retrata bem a bioética, uma das questões a serem trabalhadas pelo biomédico, mesmo antes de entrar na profissão. Sobre este filme, bioética e outras indicações de livros e séries, ouça o novo episódio do Biomedcast!

http://biomedcast.com/
Fui convidada a dar um toque feminino ao cast, representando o XX que estava faltando ali em meio aos XY! Rsrs O cast está bastante divertido e informativo. Esperamos que gostem!

Fontes:
Adoro Cinema
NatGeoTv
0 comentaram

terça-feira, 6 de agosto de 2013


. .
Especialistas buscam formas menos agressivas e mais "humanas" para a eutanásia de animais

Foto reprodução/Publicação:Nature. Agosto,2013.
Muito se fala sobre a utilização de animais em pesquisa. A polêmica gira em torno do fato de que os animais, geralmente roedores, são mortos ao final. Esta tarefa é, sem dúvida nenhuma, bastante desagradável ao pesquisador. Diante disso, especialistas de todo o mundo se reunirão esta semana no Reino Unido, para discutir uma forma menos agressiva e livre de sofrimento para a eutanásia dos animais de laboratório. Segundo Penny Hawkins, vice-chefe do departamento de animais de pesquisa da Sociedade Real para a Prevenção da Crueldade contra os Animais, uma instituição de caridade com sede em Southwater, Reino Unido, há suposições de como tornar as técnicas utilizadas mais “humanas”, e que elas devem ser empregadas, já que o animal pode parecer não estar sofrendo, quando na verdade está consciente e sentindo todo o procedimento de eutanásia.
Atualmente, as técnicas utilizadas na eutanásia dos animais incluem a inalação - como as câmaras de dióxido de carbono ou gases anestésicos - e injeção de barbitúricos. Os métodos físicos incluem luxação cervical (quebra do pescoço), ou a decapitação com guilhotina. Dentre estes citados, discute-se principalmente a utilização do CO2, pois cada vez mais estudos sugerem que o gás deixa os roedores bastante estressados antes da morte. A proposta desta reunião é encontrar uma forma com que os animais sintam o mínimo de desconforto possível e, portanto, a utilização do CO2 na eutanásia deverá ser um ponto a se questionar na reunião.
Os métodos físicos também serão pontos de discussão, por não serem viáveis para um grande número de roedores. Além disso, sugere-se cada vez mais a utilização de novos modelos animais, como o peixe, já que há um melhor bem-estar para este animal.

(Texto original)

1 comentaram

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013


. .
Neuroética - CH


0 comentaram

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013


. .
SAÚDE PÚBLICA GLOBAL

   A saúde pública é uma arte e ciência na promoção de saúde e povos proteger comunidade através de esforços organizados sociais e sistemática. Na saúde pública, precisamos entender muitos aspectos da saúde, como o ambiente, valorizar as culturas e os comportamentos humanos e também da economia social. É vital para compreender os aspectos políticos, históricos e éticos de problemas de saúde.
  Ciência da saúde pública é um campo multidisciplinar que examina questões relacionadas à saúde a partir de uma perspectiva ampla, incluindo os aspectos culturais, sociais e globais.  Os principais princípios de saúde pública são
  •          Responsabilidade coletiva;
  •     Concentre-se em populações inteiras;
  •         Foco em  prevenção;
  •     Multidisciplinar;
  •     Parcerias.
Organizações públicas de saúde e agências
   A saúde é uma questão global e há muitas organizações e agências que têm um papel importante na saúde pública em nível diferente. Por exemplo, algumas organizações têm um papel importante em nível global como a Organização Mundial de Saúde OMS, UNESCO, Vermelha Internacional-Cruz e outros trabalham em nível governamental ou local como atores, políticos, partidos, grupos de defesa de pacientes e ativistas locais. É difícil de implementar intervenções eficazes em saúde pública para a população e afetar a política de saúde sem parceiros.

Saúde global
      Saúde global, antes usou saúde internacional prazo ", implica a consideração das necessidades de saúde das pessoas de todo o planeta acima das preocupações das nações em particular". Refere-se também importância de atores além governamentais e agências como a mídia, organizações não-governamentais e internacionalmente fundações. (Brown et al 2006). Acordo com Smith et al (2003) a saúde global refere-se aos impactos transnacionais da globalização sobre os determinantes da saúde e problemas de saúde.
Kickbusch (2004) propôs cinco áreas de ação fundamentais para a saúde global:
·         A saúde como um bem público global;
·         A saúde como um componente-chave da segurança global;
·         A saúde como um fator-chave da governança global de interdependência;
·         Saúde como prática empresarial responsável e responsabilidade social;
·         Saúde como cidadania global.

       Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) são uma espécie de prioridades de saúde global no século 21.Eles são resultado de consultas entre as agências internacionais. Os  Objetivos de Desenvolvimento do Milênio consistem oito objetivos a serem alcançados até 2015. Essas metas são os principais desafios mundiais de desenvolvimento. Todos os objetivos incluem também  as metas e indicadores de saúde . Esperamos que ODM abrir-lhe a saúde pública no contexto global. 

 E VOCÊ,PODE AJUDAR???

PENSE SOBRE ISSO!!!

Fontes:
BROWN, Th. M.; CUETO, M.; FEE, E.: A transição de saúde pública ‘internacional’ para ‘global’ e a Organização Mundial da Saúde. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 13, n. 3, p. 623-47, jul.-set. 2006.

Smith RD, Beagehole R, Woodward D, Drager N: Global public goods for health: from theory to policy. In Global Public Goods for Health: a health economic and public health perspectiveVolume chapter 14. Edited by Smith RD, Beaglehole R, Woodward D, Drager N. Oxford: Oxford University Press; 2003. 
0 comentaram

terça-feira, 7 de agosto de 2012


. .
Gattaca - a experiência genética

Quer mais uma dica de filme? Agora o assunto é genética, e não epidemiologia como em "Contágio".
Já ouviu falar em "Gattaca - a experiência genética"? Inicialmente, senti que seria apenas mais um filme de ficção científica, mas ao longo do filme, vamos nos prendendo à história que é um tanto quanto intrigante e surpreendente. É claro que alguns erros ocorrem nesse tipo de filme, porém por ser de 1997, são até que perdoáveis. Mas para começar, a ideia do nome já é bastante atrativa: GATTACA corresponde às bases nitrogenadas que compõem o DNA (Guanina, Adenina, Timina e Citosina).
Como a maioria dos filmes de ficção científica, a história passa-se no futuro, no qual os seres humanos são criados geneticamente em laboratórios, e as pessoas concebidas biologicamente são consideradas "invalidas". Sendo assim, pais escolhem as características dos seus filhos, e são criados seres perfeitas, o que faz com que as pessoas tenham seu destino traçado através do seu código genético. Vincent Freeman (Ethan Hawke), um "inválido", consegue um lugar de destaque em corporação, escondendo sua verdadeira origem, para realizar seu sonho de ser piloto na empresa Gattaca. Para isso, Vicent assume a identidade Jerome Eugene Morrow (Jude Law), através de um agente clandestino que contrabandeia identidades genéticas.
Mas um misterioso caso de assassinato pode expôr seu passado e acabar com o seu sonho.

Por ser um filme um tanto quanto antigo, a imagem não é "maravilhosa", nem tão pouco há super efeitos especiais. No entanto, a mensagem retratada no filme é espetacular. Até quando o avanço da ciência é positivo, no sentido de tornar a vida humana mais confortável? É ético escolher todas as características dos seus descendentes e excluir os outros? É um bom filme para se relembrar das aulas de bioética, e talvez aplicar um pouco do seu conhecimento de genética.

Para mais informações e fotos do filme, clique aqui.

P.S.: Não consegui o link para assistir online ou fazer o download, quem tiver e quiser compartilhar,deixe nos comentários.
0 comentaram

domingo, 4 de setembro de 2011


. .
Células-Tronco e Bioética


Como inserir o novo sem detrimento ao que já está estabelecido? Quando um novo evento infringe os alicerces da humanidade temos medo de ir às ruínas. O duelo entre ciência e consciência humana vai do extremo dos que defendem a vida sendo meramente químico-fisiológica em oposição aos que piamente seguem seus dogmas imutáveis, passando pelo equilíbrio onde ciência e consciência não se opõem, mas se compõem.

É fato que tudo que é novo assusta, porém com o tempo este novo valor se torna comum para alguns, sendo incorporado ao hall de valores sociais, culturais e religiosos de algumas pessoas e grupos.

As questões éticas sobre o uso de células-tronco embrionária atinge todos os níveis sociais e áreas de influência da sociedade. Quando se dá o inicio da vida? Um blastócito humano clonado mantido em cultura tem o mesmo valor de um blastócito gerado naturalmente?
 
Quais são os valores de uma pessoa adulta saudável, uma criança sofrendo com uma doença terminal e um embrião de cinco dias? Clonagem embrionária para fins terapêuticos ou reprodutivos? Existe uma ambição científica ou um exagero sobre o conceito de dignidade humana?

A resolução da discussão sobre células-tronco depende de um diálogo sobre a implicação ética, moral e religiosa e sobre a implicação científica e as técnicas manipulativas de células-tronco, desta forma estaríamos próximo a um denominador comum. Se hoje não há um acordo entre ambos, no futuro novas técnicas poderão surgir que não degrede o embrião como também os paradigmas da sociedade podem ser mudados.
2 comentaram

sexta-feira, 3 de junho de 2011


. .
A visão polêmica sobre a área das ciências da saúde


Vídeo apresentado na exposição "Biomedicina também é cultura"

Para visualizar o vídeo em tamanho maior,basta clicar e abrir a página do Youtube. 

4 comentaram

. .
Bioética!



0 comentaram
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...