Mostrando postagens com marcador A BIOMEDICINA COMO ELA É. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador A BIOMEDICINA COMO ELA É. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019


. .
Resistência antimicrobiana e a PLS 545/2018


Atualmente, a resistência aos antimicrobianos é um dos principais problemas da saúde pública mundial, devido às consequências clínicas e econômicas. Trata-se da capacidade de adaptação evolutiva da bactéria (e outros microrganismos) frente aos antimicrobianos, que vem colocando em risco a eficácia dos medicamentos disponíveis.
Desde sua descoberta em 1928 por Alexandre Fleming, os antibióticos são usados para tratamento de infecções bacterianas, e já salvaram milhares de vidas em todo o mundo. O que vemos no cenário atual é uma grave crise de resistência aos antimicrobianos: as bactérias evoluem mais rápido do que novos antibióticos são lançados no mercado.
Além da falta de desenvolvimento dessas drogas e demora para que estejam disponíveis no mercado, esta crise tem sido atribuída principalmente, dentre outros fatores, ao uso excessivo e indiscriminado dessas drogas. Os quadros de resistência geram uma alta taxa de mortalidade, e maiores custos com internação e equipe médica, além da tentativa (muitas vezes nula) de se utilizar combinações de antibióticos a fim de aumentar sua eficácia.
É preciso que haja maior cautela na prescrição e na utilização dos antibióticos pelo paciente. Mesmo que na maioria das vezes o biomédico não esteja em contato direto com o paciente, é importante que tenhamos consciência desse cenário, que conheçamos os principais mecanismos de resistência, e que possamos liberar laudos cada vez mais claros e de acordo com a realidade atual. É importante também manter diálogos com o corpo clínico para que o tratamento ao paciente seja o melhor possível e incentivar o uso correto dos antibióticos.
Há no Senado Federal um projeto de Lei nº 545, de 2018, de autoria do senador Guaracy Silveira (PSL/TO), que visa facilitar o acesso da população de locais sem serviço regular de saúde pública aos antibióticos, sem a necessidade de receita médica. O projeto está em análise na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), e é claro, gerou grande polêmica no início desse ano. A explicação dada pelo senador para este projeto é a seguinte:
— O que precisamos, claro, é de saúde com acesso gratuito e universal para que todos tenham diagnóstico e prescrição médica. Mas, enquanto esse sonho não se concretiza, precisamos garantir o acesso da população a esses medicamentos em localidades que não possuam atendimento médico e serviço de saúde pública regular. – Guaracy Silveira, senador (PSL/TO).
Desde 2010, a ANVISA exige a apresentação e retenção de uma via da receita médica na compra do antibiótico. Esta medida se dá justamente para que possa haver um controle da disponibilização de antibióticos à população, já que, como vimos até agora, trata-se de um assunto sério.
Facilitar o uso de antibióticos, ainda mais em uma população carente de atenção médica, é simplesmente promover o aumento de quadros de resistência bacteriana e aumentar ainda mais crise em que vivemos. Lembrando, trata-se de uma crise não só para a comunidade científica, médica e para a população, mas de uma crise econômica.
É necessário que medidas preventivas sejam tomadas, e que a população possa receber uma melhor educação sobre o assunto, para que faça uso dos antibióticos com responsabilidade.
Em outro momento, vamos falar mais sobre os tipos de resistência bacteriana e os mecanismos envolvidos, para fins de estudo. Neste momento, precisamos falar sobre a PLS 545/2018 e, como profissionais da saúde, levar maior conhecimento a quem desconhece o assunto e mostrar à população e ao Senado como medidas como esta proposta pelo senador Guaracy podem provocar um dano irreversível.
Você pode ter acesso e manifestar sua opinião ao Senado dizendo que NÃO APOIA este projeto de Lei, clicando aqui. Compartilhe com outros profissionais ou mesmo as pessoas do seu convívio. Ao invés de facilitar o acesso aos antibióticos e aumentar o seu uso indiscriminado, vamos promover a educação sobre o assunto.

Fontes:
SenadoNotícias – para ler na íntegra a notícia sobre o Projeto de Lei
PLS545/2018 – para ler o projeto de Lei e manifestar sua opinião
Wright, G. Tyres, M. Drug combinations: a strategy to extend the life os antibiotics in the 21st century. Nature Reviews, jan. 2019. Disponível em: < https://www.nature.com/articles/s41579-018-0141-x>.
FRIERI, M. et al. Antibiotic resistence. Journal of Infection and Public Health. 10, 369-378. 2017. Disponível em: < https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1876034116301277>.
VENTOLA, C. L. The Antibiotic Resistance Crisis Part 1: Causes. Vol. 40 No. 4, abr. 2015. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4378521/>.
LOUREIRO, R. J. et al. O uso de antibióticos e aos resistências bacterianas: breves notas sobre a sua evolução. Rev Port Saúde Pública. 34(1):77–84. 2016. Disponível em: <https://ac.els-cdn.com/S087090251500067X/1-s2.0-S087090251500067X-main.pdf?_tid=3d2667d0-d49e-43c1-adae-c5a14e1bb68f&acdnat=1548971440_b54109697d4a222e2a20d1431d7c8c45>.
0 comentaram

quinta-feira, 22 de março de 2018


. .
Processe seletivo para Estágio - DGRH Unicamp



A UNICAMP (Universidade de Campinas) divulgou hoje (22/03/2018), que estão abertas as inscrições para o Processo Seletivo de Estágio para as áreas de Saúde/Biológica/Alimentos/Meio Ambiente. São inicialmente 4 vagas destinadas a alunos do 4º semestre de graduação em Biomedicina, Biologia e Farmácia.
As inscrições poderão ser realizadas on-line, entre 22/03 a 06/04/2018. Para maiores informações e acesso ao edital, acesse o site do DGRH clicando aqui.

Boa sorte a todos!
0 comentaram

sexta-feira, 10 de novembro de 2017


. .
Entrevista: Mayara Montani Reis - Microbiologia de Alimentos


1. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Mayara, onde você cursou Biomedicina? Quando se formou?

Mayara: Me formei em 2011, no Centro Universitário Lusíada – UNILUS em Santos/SP.

2. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Como começou a paixão pela Biomedicina e o que mais lhe chamou atenção no curso?

Mayara: Meu interesse na biomedicina surgiu com a ideia de atuar em pesquisa, por isso, logo no primeiro ano de faculdade iniciei minha iniciação científica na UNIFESP. Após dois anos de pesquisa na área de hepatologia desisti de continuar, pois a IC estava me conduzindo para a área acadêmica, mas não era isso que eu queria na época. Decidi que eu precisava adquirir experiência, então comecei a procurar, e consegui um estágio em análises clínicas. Depois do estágio eu pude ter certeza que não queria trabalhar em hospitais e que eu precisava sair da minha zona de conforto para obter sucesso, diferencial e etc. Foi assim que surgiu a Micro de Alimentos.

3. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Quais características você acredita serem essenciais para um bom biomédico?

Mayara: O biomédico deve gostar do que faz, se adaptar a rotina, ser capaz de trabalhar com uma equipe pequena ou sozinho. A profissão não é muito valorizada, principalmente financeiramente, por isso, é essencial que o profissional busque diferenciação e ame o que faz.

4. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Você é pós-graduada em Microbiologia de Alimentos e Gestão da Segurança de Alimentos. Como e quando se interessou pela área? Onde fez sua especialização?

Mayara: Eu comecei a me interessar por essa área no último ano de faculdade, nas aulas de Bromatologia. Mas como não é o foco do curso, precisei procurar uma formação complementar e me especializar na área. Fiz minha especialização em São Paulo, na SBM – Sociedade Brasileira de Microbiologia. No final das contas foi a melhor coisa que eu fiz, me capacitei e hoje atuo em um segmento incomum e promissor para o biomédico.

5. BIOMEDICINA EM AÇÃO: A maioria dos biomédicos que se formam, atuam em análises clínicas. O que você acha desse grande leque de oportunidades além do laboratório clínico, e quais dificuldades você encontrou para se inserir nesse mercado?

Mayara: Eu acho que existem muitas possibilidades além da área de análises clínicas, mas é essencial que o profissional escolha a área de atuação considerando vários aspectos, como paixão, identificação, retorno financeiro e crescimento profissional. Também é importante considerar a empresa, pois o desenvolvimento e reconhecimento profissional dependem e variam muito de empresa para empresa. Não encontrei muitas dificuldades para me inserir nesse mercado, acredito que oportunidades surgem para quem acredita e corre atrás.

6. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Quais atribuições o biomédico deve ter para seguir a área de Microbiologia de Alimentos?

Mayara: Para atuar nessa área é necessário procurar um estágio durante a faculdade ou um curso de especialização.

7. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Onde o biomédico habilitado em Microbiologia e Alimentos pode atuar?

Mayara: Esse profissional pode atuar em laboratório de análise, em empresas, fábricas e consultorias na área.

8. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Como está o mercado para o biomédico nesta área e com quais outros profissionais de trabalha?

Mayara: O campo é limitado, como em diversas outras áreas, por isso é essencial ter, além de um bom currículo, experiência (estágios, trainees). Nessa área trabalhamos e concorremos com biólogos, nutricionistas, farmacêuticos, técnicos em alimentos ou nutrição, engenheiros de alimentos, entre outros.

9. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Dizem que a Biomedicina é a profissão do futuro. O que você acha disso? Mudaria alguma coisa para melhorar a nossa área?

Mayara: Acredito que sim, mas a biomedicina precisa ser mais valorizada pelo mercado e melhor explorada pelo próprio profissional. Se nos especializarmos, podemos atuar em diversas frentes e dominar o mundo. Brincadeiras a parte, o Biomédico não é capacitado somente em análises clínicas, ele precisa focar em habilitações que possibilitem ser um diferencial, que sejam inovadora e tragam o retorno esperado.

10. BIOMEDICINA EM AÇÃO: Qual a sua dica para quem está começando na Biomedicina?

Mayara: O Biomédico tem uma ampla área de atuação (https://crbm1.gov.br/habilitacao). Minha dica é buscar uma área diferenciada e investir nela.


PERGUNTA DO LEITOR Felipe Trisotto: O biomédico bromatologista pode atuar no desenvolvimento e análises bromatológicas em nutrição animal?

Mayara: Pode, mas isso pode variar entre as empresas.

Considerações finais:
Gostaria de agradecer a oportunidade de escrever no blog. Minha intenção é compartilhar conhecimento e minha experiência na área de alimentos. Quero também me colocar à disposição para esclarecer dúvidas e questionamentos.
Obrigada!

Mayara Reis
0 comentaram

segunda-feira, 24 de julho de 2017


. .
A biomedicina vista de diferentes ângulos | WebSérie

Quantas vezes alguém já perguntou a você o que faz um biomédico ou se biomédico é quase médico? Que tal se a biomedicina fosse tão difundida quanto outras profissões?
É para o reconhecimento da nossa profissão é que lutamos diariamente! E para ‘dar um up’ na divulgação da biomedicina, o Prof Marcelo Oliveira, do Canal do Biomédico, junto a outros colegas, criou uma WebSérie para tirar todas as dúvidas e para bater um papo sobre ás áreas em que podemos atuar, sobre o cenário da biomedicina em concursos públicos, sobre pesquisa, residência biomédica, e muitos outros assuntos! Isso tudo reunindo grandes nomes da biomedicina que trabalham difundindo conhecimento na internet.
  


Além do Prof. Marcelo, participarão da WebSérie o Fredson Serejo (Prepara Biomédico), o Brunno Câmara (Biomedicina Padrão), Carlos Danilo Cardoso e Marcus Cardoso (Gêmeos da Biomedicina) e Rodrigo Colares (Movimento Biomédicos Unidos do Amazonas).
E é com grande honra que o Biomedicina em Ação estará na live final, falando e divulgando o que a gente mais gosta, não é?


Acesse o Canal do Biomédico e confira os vídeos que serão lançados ao longo das semanas. Curta, compartilhe, mande para os amigos, para a família! Vamos todos juntos em prol da divulgação da Biomedicina!
0 comentaram

sábado, 10 de junho de 2017


. .
Ética na pesquisa científica: qual a importância?


Já tratamos aqui sobre um acontecimento envolvendo cientistas japoneses e uma descoberta que aparentemente daria novos rumos à medicina regenerativa (clique aqui para ler a matéria).  A história que no começo foi tratada como fraude, mas no fim não passou de inexperiência, cabe bem ao assunto desse post.
A ética na pesquisa científica é algo que por vezes se mantém longe de discussões, e só volta a ser mencionada quando algo polêmico aparece, como publicação de artigos com dados inverídicos, ou mesmo o que podemos chamar de corrupção, quando o grupo de pesquisa acaba por se tornar uma fábrica de artigos sem qualidade.
A Revista Fapesp do mês de maio trouxe nas suas páginas iniciais uma matéria muito interessante sobre isso. Em abril deste ano, as Academias Nacionais de Ciências, Engenharia e Medicina dos Estados Unidos criaram um relatório com 11 recomendações para que os problemas envolvendo a ética sejam diminuídos, e para que os indícios de má conduta sejam investigados.
É difícil acreditar que, também na ciência, há chantagens e propostas antiéticas ligadas à ação fraudulenta de empresas e instituições que se propões a ajudar pesquisadores a publicar artigos ou prestam consultoria sobre ética na pesquisa. Um caso que retratada essa situação é o de uma empresa chinesa de redação científica que propôs ao editor da revista Diabetic Medicine, Richard Holt, o que eles chamaram de “negócio colaborativo”. Nesse “negócio”, Richard receberia US$ 1 mil por artigo aceito para publicação. Eles argumentavam que era difícil para médicos chineses publicarem em revistas de prestígio, principalmente por barreiras linguísticas e, portanto, pediram para que o editor os ajudasse com isso. Entretanto, Holt respondeu que isso se tratava de um ato antiético e encaminhou o caso ao Cope (Committee on Publication Ethics), um fórum de editores com sede em Londres que trata de temas ligados à integridade científica.
E o paper inspirado em seriado de comédia? Pois é. A revista Urology & Nephrology Open Acess Journal publicou um artigo assinado pelo Dr. Martin van Nostrand, sobre um estudo de caso de uma doença chamada “uromycitisis”, doença que fazia com as pessoas fossem obrigas a urinar quando sentissem vontade, mesmo em locais públicos, caso contrário poderiam morrer. O problema é que esse tal Dr. Nostrand era um pseudônimo criado por um dos personagens de uma série de ficção que se passava por médico em alguns episódios, e a uromycitisis também era fruto da imaginação do comediante que escreveu a séria, Jerry Seinfeld, em que o personagem principal precisava inventar uma desculpa para o policial que o flagrou urinando em uma garagem.
Está mais do que clara a importância de se utilizar a ética na divulgação científica. É a partir de um artigo que outros são gerados, que descobertas são feitas e que vidas podem ser mudadas.

Para ter acesso às recomendações das Academias Nacionais de Ciências, Engenharia e Medicina dos Estados Unidos, acesse: www.nap.edu/21896


Fonte: A importância de dar um passo adiante. Maio 2017. Revista Fapesp, n.255, p.8-10.
0 comentaram

sábado, 17 de dezembro de 2016


. .
Saiba o valor da anuidade do CRBM de 2017


De acordo com a Resolução CFBM nº269/2016, haverá reajustes na anuidade de 2017, e vocês já podem começar a se preparar, já que entra em vigor a partir de 01 de janeiro de 2017. Confira os valores integrais:

  • Biomédico – R$ 490,00
  • Tecnólogo – R$ 245,00
  • Técnico – R$ 147,00


Lembrando que esse valor pode ser parcelado em até 5 vezes, e pagando até 31/01/2017 em parcela única, há desconto de 10%; ou até 27/02/2017, 5%, mas é sempre bom já ficar preparado para o início do ano.
Outra informação importante é que quem acabou de colar grau, terá 50% de desconto do valor da primeira anuidade.
Para maiores informações sobre a anuidade, registro e outros documentos, acesse o site do Conselho da sua região.  
0 comentaram

domingo, 20 de novembro de 2016


. .
Sempre há tempo para seguir um sonho! - especial 20 de novembro

Chegamos a mais um 20 de novembro. Dia muito especial a nós, profissionais que lutam constantemente pela saúde, pela ciência, mesmo que nos bastidores. A cada dia uma nova descoberta nos alegra, saber que podemos melhor a vida de alguém, dar melhores condições através de um diagnóstico, fazer parte da equipe que salvou a vida de uma pessoa.
Hoje, o blog Biomedicina em Ação resolveu homenagear estes profissionais contanto uma história de muita coragem. Falo de uma futura biomédica, que resolveu mudar todo o rumo da sua vida pelo amor à ciência da vida, por amor à Biomedicina. Vale a pena a leitura: 



“Minha história com cursos na área de saúde começou há algum tempo, há quase 6 anos. Em 2010, no meio do ensino médio passei para o curso de farmácia na UnB, uma das maiores alegrias que tive. Meu sonho era aquela universidade. No entanto por problemas da vida precisei sair da faculdade... Que choque! Em 2011 para alegria da minha família iniciei no Direito, um ótimo curso (para minha família) e para mim só um curso.
Sempre fui dedicada, terminei a graduação em Direito aprovada no exame de ordem, apresentei o TCC e tirei 10. Iniciei 2016 achando que como já tinha chegado até ali conseguiria tranquilamente seguir na carreira profissional, passar num concurso público, doce engano. Entre janeiro de 2016 e novembro desse mesmo ano tive certeza que não era "aquilo" que eu queria, meu Deus e agora?
Decidi que era hora de assumir minhas vontades, comecei a pesquisar de novo sobre meu curso de farmácia e aí conheci a BIOMED, comecei a pesquisar, vi vídeos no YouTube, me senti uma adolescente saindo do ensino médio rs, tive a certeza da vida, da minha vida. Me apaixonei pela biomed, meu nível de ansiedade para o início das aulas está lá em cima e o melhor.
Estou muuuuuito feliz e olha que ainda nem começou. Ah, e parabéns a todos os biomédicos!


Que todos nós tenhamos esta mesma coragem, para tudo em nossas vidas. E que todos nós vejamos a nossa profissão com a mesma empolgação de quando iniciamos, porque é como sempre digo: “o poder da criação é divino, mas o da transformação é nosso”. Parabéns, biomédicos!
0 comentaram

sábado, 19 de novembro de 2016


. .
CRBM homenageia biomédicos com vídeo em stop motion

Para homenagear os biomédicos, já que o nosso dia está chegando, o CRBM 1ª Região em parceria com o canal Bricking Science, criou um vídeo em stop motion. Uma linda e super bacana homenagem a todos nós! Confiram:



PARABÉNS A TODOS OS BIOMÉDICOS!!!
0 comentaram

quarta-feira, 25 de maio de 2016


. .
50 fatos sobre a Biomedicina


No ano de 2016, a Biomedicina completa 50 anos! Em 1966 começava a aula inaugural do curso de Biomedicina, na UNIFESP, e depois em outras universidades, como a UERJ, inicialmente com o nome de “ciências biológicas – modalidade médica”).
E também esse ano, o Biomedicina em Ação completa 5 anos! Nascemos em meio de 2011, e seguimos até hoje, com muitas mudanças, novos conteúdos, parcerias, aprendizado e novidades.
Uma das novidades é o nosso canal no Youtube, e é para lá que nós vamos hoje, para comemorar esses grandes acontecimentos de 2016!
Que tal comemorar com os “50 fatos sobre a Biomedicina”? Inovei, e ao invés de falar “sobre mim” falei sobre a minha (e a nossa) paixão. Vem conferir!!!



Parabéns biomédicos que estão a cada dia na luta constante de salvar e preservar vidas, além de lutar por uma melhor colocação no mercado de trabalho e pelo melhor reconhecimento da profissão. E obrigada pelos quase 900 mil acessos no blog e 22 mil curtidas no facebook! São milhares de biomédicos em plena ação, que com certeza fazem toda a diferença para o desenvolvimento da saúde. 
0 comentaram

domingo, 25 de outubro de 2015


. .
Como escolher sua especialização? [Por Élio Carvalho]


A biomedicina é uma profissão com diversas facetas. Atualmente podemos atuar em 33 áreas distintas. E então vem a pergunta, qual devo seguir?
Em muitas situações a primeira pergunta do aluno é: “Professor, e o mercado de trabalho? E a remuneração? ” De fato, são perguntas importantes que devem ser analisadas. Porém, questiono: são essenciais?
Existe uma diferença singular entre essencial e fundamental. Fundamental é aquilo que se pode ter, mas sozinho não supre nossas necessidades. Dinheiro é fundamental, mas apenas o dinheiro, sem amizades não é suficiente. Essencial é aquilo que temos que ter. Amor, fraternidade, amizade. Logo, já temos a resposta da pergunta anterior: a pergunta que geralmente fazemos sobre as especialidades, é fundamental, não é essencial.
E o que é essencial na escolha de uma especialidade? Existe outra diferença limítrofe sobre nossa escolha: qual diferença entre Trabalho e Emprego? Qual dos dois você quer ter? Emprego é fonte de renda e trabalho é fonte de vida. Você pode ter um excelente emprego, porém sem nenhuma qualidade de vida. Por outro lado, você pode trabalhar muito, sem ter quase nenhuma fonte de renda. E neste ponto temos algo importante a diferença entre stress e cansaço. Quando temos um trabalho, muito provavelmente você irá ter cansaço, mas não stress. Stress é ocasionado quando você não entende o que você faz, quando não sabe o porquê de estar ali. O cansaço é natural. Quando fazemos esporte nós cansamos, mas não ficamos estressados.  Logo, meu conselho: procure um trabalho, algo que te canse, não que estresse.
O que nós procuramos, ou pelo menos, que devemos procurar durante a vida é sermos importantes. Transformar a vida em algo grandioso, importante. E o importante não é ser famoso, é fazer a diferença, é na sua ausência, fazer falta. Sendo assim, escolha algo que ame, que irá fazer com prazer, sem querer que acabe, pois fará bem feito e assim será o melhor que você puder. Para estes profissionais sempre haverá espaço, mercado de trabalho e boa remuneração.
0 comentaram

terça-feira, 14 de julho de 2015


. .
Por que fazer pós-graduação?



Por que fazer pós-graduação? Esta é uma das perguntas mais frequentes dos recém-formados ou daqueles que estão prestes a se formar. E a resposta pode variar muito de acordo com o que cada um entende de vida, ou melhor, o que cada um quer para sua vida.
Existem pessoas que ao final de uma faculdade, ou até durante sua formação, necessitam trabalhar para manter sua casa ou até mesmo seus estudos. Outras pessoas são defensores da “necessidade”, ou seja, mesmo tendo os pais para ajudar neste momento, se incomodam, de forma compreensível, com esta situação e querem o quanto antes trabalhar. Isto é um erro?
Com convicção, não! É uma escolha. Muito diferente de erro. Porém sabemos que a continuação dos estudos é fundamental para um profissional atualizado. Logo, o ideal são cursos rápidos de atualização para contribuir no seu trabalho atual, e pós-graduação sem ser modalidade de residência, para que consiga conciliar os dois. Infelizmente, para a área de biomedicina não conseguimos levar simultaneamente emprego e pós-graduação em modalidade de residência, pois o tempo é integral e inviabiliza o aprendizado, com raríssimas exceções.
Algumas pessoas perguntam: por que fazer pós se nada irá mudar no meu salário? Uma pergunta interessante, porém foca no problema errado. A pergunta seria: em que a pós irá mudar na minha vida profissional?
Ter uma pós-graduação te traz alguns benefícios: mais ponto no currículo, maior pontuação em concursos, conhecimento diferenciado na área, maior chance de empregos por este conhecimento. E salário diferenciado... não! Não se engane, isto não irá alterar seu salário de imediato, em quase nenhuma área, mas irá te ajudar a encontrar oportunidades. E o que altera salário!?? O seu trabalho!! A sua importância na empresa.
Logo, se você busca voos altos na empresa que trabalha, saiba que para ela te valorizar, você precisa se valorizar. E fazemos isto, além de oferecer um trabalho de qualidade, nos especializando para oferecer uma mão de obra diferenciada. Caso você seja alguém que está interessado em ter apenas o salário base, sem ascensão profissional, sem ter a preocupação de mostrar serviço e evoluir como profissional, você não precisa fazer pós-graduação.

Sendo assim, lembre-se: a pós-graduação é essencial para você que quer iniciar um caminho de crescimento profissional ascendente, seja ela em tempo integral ou não. E o mais importante, este passo é só o início e não o final. 
0 comentaram

sábado, 14 de dezembro de 2013


. .
Novidades - SBCEC

Venho parabenizar ao nosso colunista Elio Carvalho por ter se tornado agora membro da Comissão Científica da SBCEC (Sociedade Brasileira de Circulação Extracorpórea), durante o Congresso Internacional de Ciências Cardiovasculares e XXXI Congresso Brasileiro de Circulação Extracorpórea, que aconteceu em Recife, PE. Que muitas novidades possam surgir a partir disso. Parabéns! 





0 comentaram

sexta-feira, 15 de novembro de 2013


. .
Bem-vindo!

Olá Pessoal! Meu nome é Élio Carvalho, sou Biomédico formado na 1º turma do Estado do Piauí, com muito orgulho. Sou Perfusionista pela Sociedade Brasileira de Circulação Extracorpórea e Microbiologista pela UNICAMP. Atualmente faço Mestrado em Pediatria pela FCM-UNICAMP e sou Membro da Diretoria da SBCEC. Com muita satisfação venho informar a todos nossos amigos do Blog Biomedicina em ação que terei a honra de conversar com vocês através de uma coluna mensal que intitulamos “A Biomedicina como ela é” em homenagem ao grande escritor Nelson Rodrigues. Nordestino, assim como eu, Nelson ficou mais conhecido ao tratar de todos os assuntos, inclusive criticando a sociedade e instituições de forma objetiva.  A intenção da coluna é fornecer visão crítica aos acontecimentos recentes da Biomedicina, fomentando a discussão da classe, assim como sua cinética, levando a tão desejada mobilização profissional. Também teremos momentos de informação como novidades no diagnóstico, na pesquisa, na biomedicina como um todo; dúvidas comuns dos recém formados, discussões sobre novas áreas. O diálogo está aberto e convido a todos para a roda. Porque a biomedicina não para, porque a Biomedicina está em ação.
3 comentaram
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...