terça-feira, 22 de março de 2016


. .
1º Congresso Brasileiro de Qualidade em Laboratórios

Acontecerá, dos dias 10 a 16 de abril, o 1º Congresso Brasileiro de Qualidade em Laboratório. O evento segue a modalidade online, que vem crescendo e possibilitando o acesso de pessoas de todos os lugares do mundo. Além disso, o congresso é organizado pela Lince Consultoria e Treinamentos gratuito.


Para se inscrever e obter maiores informações, acesse clicando aqui.
0 comentaram

segunda-feira, 21 de março de 2016


. .
21 de março


Ser diferente é ser normal! 
0 comentaram

segunda-feira, 14 de março de 2016


. .
HeroRats: ratos que detectam tuberculose na África

Estive em um curso na semana passada no Instituto Adolfo Lutz de Campinas (IAL-Campinas), sobre Capacitação em Biossegurança. Uma das palestras foi sobre vivência em um laboratório de nível III, de tuberculose. Um dos pontos interessantes da palestra foi quando tratou-se de uma forma um tanto inusitada de diagnóstico da tuberculose.
Imagem adaptada: G1.com
Na cidade de Maputo, capital de Moçambique, no sudeste da África, uma espécie de roedores foi treinada para o diagnóstico primário da tuberculose. Isso acontece desde 2013, e os ratinhos (nem tão pequenos assim), carinhosamente apelidados de “HeroRats” (ou “ratos heróis), foram responsáveis por detectar cerca de 1.182 casos da doença.


Este é um projeto que teve início na Tanzânia, pela organização belga chamada Apopo. Esta organização se dedica ao desenvolvimento de métodos de diagnóstico usando ratos treinados, por ser um método mais rápido e barato. No caso dos HeroRats, há uma precisão de 80% e 20 vezes mais rapidez no diagnóstico.
Os HeroRats são treinados para associar o som de um clique com uma recompensa em forma de comida, e logo depois, sentem o cheiro característico do Mycobacterium tuberculosis, a bactéria causadora da doença, e se familiarizam então para detectar a bactéria em amostras de escarro humano.
Quando o ratinho detecta a bactéria, sinalizam aos profissionais mantendo o nariz por pelo menos 3 segundos no buraco com as amostras de escarro. Sempre que indicam uma amostra positiva, ganham banana ou amendoim como recompensa. E o interessante é que eles sabem exatamente em qual das amostras ele parou!
Esta postagem não visa tratar sobre os assuntos bioéticos envolvidos, e nem o fato da chance de o animal ser contaminado e se há possibilidade de transmissão. Mas vale uma discussão acerca disso.

Fontes:
G1.com
0 comentaram

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016


. .
E sobre o meu esfregaço, Glória?


0 comentaram

. .
Pesquisadores da Unicamp criaram um dispositivo capaz de detectar precocemente o câncer de mama


Cecília de Carvalho Castro e Silva e Lauro Tatsuo Kubota, líderes do estudo realizado no Instituto de Química da Universidade Estadual de Campinas, desenvolveram tal dispositivo contendo 64 sensores integrados, que podem detectar a proteína HER2 (Human Epidermal Growth Factor Receptor 2), em uma única gota de sangue. A presença da HER2 é um fator que indica o surgimento de um tumor na fase de pré-desenvolvimento, antes mesmo do aparecimento do nódulo mamário.
O câncer de mama deve atingir 57.960 mulheres em todo o Brasil, somente este ano, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca). Sendo assim, a busca por novos métodos de detecção precoce se faz extremamente necessária.

Cecilia Silva
Lauro Kubota
“Os métodos tradicionais utilizam o exame do toque da mama e a mamografia. No exame do toque a mulher só consegue identificar o câncer quando o nódulo já está com um centímetro ou mais. Na mamografia é possível detectar nódulos de até quatro milímetros. Nestes casos o câncer já está instalado e, muitas vezes, pode ser tarde”, diz Cecilia. E acrescenta: “Muitos estudos mostram que, seis meses antes da paciente começar a desenvolver o tumor, os níveis do HER2 no soro sanguíneo aumentam, passando do que seria um nível normal de 12 nanogramas por mililitros, até chegar ao estágio de 15 nanogramas por mililitros ou mais”.
O dispositivo é do tamanho de uma moeda de cinquenta centavos, e funciona como um transistor de efeito de campo (que funciona como amplificador) à base de grafeno (material bidimensional formado por uma única camada de átomos de carbono) modificado com nanopartículas de ouro. A condutividade elétrica do dispositivo pode ser modulada pela interação com espécies químicas e biológicas. No caso, o tipo de grafeno, o ouro e a imobilização orientada de anticorpos sobre o grafeno possibilitaram uma ultrassensibilidade. “Os anticorpos reconhecem especificamente esta proteína HER2. Portanto, quando estes anticorpos interagem com essa proteína, há mudanças nos valores de condutividade”.
Há ainda a possibilidade de fabricação de substratos plásticos, o que deixaria o dispositivo mais barato e o tornaria descartável.

Informações do site  Correio Popular 
Fotos: Antonio Scarpinetti/Divulgação

0 comentaram

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016


. .
Cientistas da Unesp isolam bactérias do Aedes aegypti para combater Zika e Dengue

Foto: G1.com
Uma pesquisa em andamento na Unesp de Botucatu pretende combater a replicação do Zika Vírus e do vírus da dengue. Para isso, os pesquisadores da Universidade isolaram 28 bactérias do intestino do mosquito Aedes Aegypti.
O objetivo do estudo é procurar, dentre estas bactérias, alguma que confira ao mosquito resistência aos vírus, e liberá-las na natureza. Entretanto, o coordenador da pesquisa afirma que estudos posteriores deverão ser realizados para que essas bactérias sejam liberadas com segurança.
  
A reportagem completa você confere clicando aqui!

Resumo do artigo do pesquisador responsável Jayme Augusto de Souza-Neto
0 comentaram

. .
Linha de Canecas Biomedicina em Ação! - Cafeína

Em parceria com a loja online Canecas Express, lançamos mais uma caneca da linha Biomedicina em Ação! Para os cafeinados, essa é a caneca perfeita para aguentar o plantão!


0 comentaram

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016


. .
Microbiologista diferentona


0 comentaram

. .
Noticiário científico - Por Fernando Mafra

O farmacêutico Fernando Mafra continua com seus noticiários científicos, e este está bastante interessante. Ele trata de um artigo sobre a violeta, aquela florzinha que quase todo mundo tem em casa, e um outro sobre a translocação de proteínas em células tumorais. Vale a pena assistir!

0 comentaram

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016


. .
Aquela velha história...


0 comentaram
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...