domingo, 22 de fevereiro de 2015


. .
Regulação da Expressão Gênica em Procariotos

Definição de “Expressão Gênica”: é o processo em que a informação codificada por um determinado gene (sequências de nucleotídeos do DNA), é decodificada em uma proteína. Teoricamente, a regulação em qualquer uma das etapas desse processo pode levar a uma expressão gênica diferencial. Ela ocorre em duas etapas bem distintas: a produção do RNAm (chamado de transcrição) e a síntese da proteína (chamado de tradução).


Com a definição clara do termo “expressão gênica”, podemos falar sobre a dessa expressão nos procariotos! Muitos estudantes sentem grande dificuldade nesse assunto, mas vocês verão que acaba sendo muito interessante quando você o compreende. Vamos aos estudos!
5 comentaram

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015


. .
Entrevista: Dra. Brunna - Biomedicina Estética

Chegou a hora de falarmos sobre Biomedicina Estética! Convidei a Dra. Brunna Veruska de Paula Faria, biomédica hematologista, que acabou se apaixonando pela estética. Nesta entrevista ela conta como mudou o rumo da sua carreira e responde dúvidas dos leitores do Biomedicina em Ação.

BIOMEDICINA EM AÇÃO: Dra. Brunna, você se formou na Universidade Católica de Goiânia, atual PUC-GO. Por que você escolheu Biomedicina? O que mais lhe chamou a atenção no curso e na profissão?

DRA. BRUNNA: Bom, na verdade eu era estudante de Administração (fiz 2 anos) mas não gostava do curso por ser muito pacato, e na época eu visitei um laboratório de melhoramento genético da Embrapa e simplesmente fiquei encantada com tudo, com os aparelhos e decidi que queria trabalhar em laboratório, começou então a minha busca pelo curso que poderia me proporcionar aquilo, até então eu não conhecia a Biomedicina, e fiquei em dúvida entre ela e farmácia, visitei as faculdades UFG e PUC-GO e me rendi a Biomedicina. Até então o plano era que eu tinha certeza que ia querer trabalhar com a área de genética... mas nossos caminhos mudam e a gente descobre novas áreas e vai se apaixonando!

1 comentaram

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015


. .
Staphylococcus aureus: características, identificação e resistência a antibióticos


Segundo a Anvisa, as bactérias Gram-positivas, especialmente os cocos, estão entre os microrganismos mais frequentemente isolados de amostras biológicas humanas em laboratórios de microbiologia. Neste artigo, abordaremos principalmente as características e identificação do Staphylococcus aureus, o mais importante microrganismo dentre os estafilococos, sendo responsável pelo segundo maior número de infecções em seres humanos.

Os Staphylococcus aureus são cocos gram positivos não esporulados, imóveis, anaeróbios facultativos, produtores de catalase, e dispostos em grupos ou “cachos de uvas”. Pertencem à família Micrococcaceae, e é uma das 37 espécies do gênero Staphylococcus. As colônias de S. aureus (aureus, do latim, “dourado”) podem se apresentar em colocação amarelada e formação de halo em ágar sangue.
São comumente encontrados na nasofaringe de aproximadamente 60% da população em geral, pele e raramente na vagina; e de todas as espécies do gênero Staphylococcus, o S. aureus
9 comentaram

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015


. .
7 aplicativos para biomédicos




Desde sempre as novas tecnologias vem a contribuir com o desenvolvimento ao nosso redor, sobretudo com o compartilhamento de informações. É preciso então que nos aliemos a estas tecnologias para que estejamos sempre atentos ao novo, principalmente na área da ciência e saúde, já que há uma dinamicidade no surgimento de tais informações. Uma boa forma de se aliar a isto é através dos aplicativos disponíveis e muitas vezes acessíveis a todo mundo. Testei alguns aplicativos relacionados à ciência e saúde, e vou listar os que mais gostei. Vale a pena conferir para complementar os estudos e ficar bem informado. 



1 comentaram

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015


. .
Google lançará lentes de contato que medem níveis de glicose

As informações são da Revista Galileu

Imagem divulgação: Google. Fonte: Revista Galileu 
Olha mais tecnologia a favor da saúde! Depois de lançar os seus óculos 'smart', o Google Glass, a gigante da internet está testando lentes de contato. Não se trata de uma versão “mini” do óculos, mas servirá para medir o nível de glicose no fluido lacrimal de pacientes diabéticos.  
Para isso, o aparelho possui sensores minúsculos de glicose e chips wireless, capazes de reunir e transmitir os dados dos exames para um computador ou smartphone. Ou seja, o exame e o monitoramento é feito de forma constante - sem a necessidade de interromper as atividades do paciente ou extrair sangue. De acordo com os desenvolvedores do projeto, Brian Otis e Babak Parviz, o procedimento atual é doloroso e incômodo - e, por isso, muitos diabéticos não fazem quantos testes quanto deveriam.
Protótipos das lentes estão sendo testados no Google(x), um laboratório voltado a produtos inovadores. Como seu desenvolvimento ainda está em fase inicial, não há informações sobre quando a tecnologia estará disponível no mercado.
0 comentaram

. .
CANABIDIOL LIBERADO PELA ANVISA l O que é? Como funciona? - Por Luiz Guilherme

Nesses últimos dias os jornais noticiaram a liberação pela Anvisa do uso terapêutico do Canabidiol, um dos 480 compostos da Cannabis sativa (a maconha). O Canabidiol passará para a categoria C1, de uso terapêutico permitido, mas sujeito a controle. Esse assunto gerou muita polêmica, e o Luiz Guilherme, da página Vida de Biomédico e do Canal Luiz Hendrix, fez um vídeo bastante informativo sobre isso. Vale a pena conferir!  



Mais informações sobre o Canabidiol: 
0 comentaram

sábado, 10 de janeiro de 2015


. .
Teixobactina: descoberta a molécula que poderá originar nova classe de antibióticos

Um grande problema e preocupação dos microbiologistas é a resistência bacteriana, como o S. aureus MRSA (ou ORSA, S. aureus resistente a oxacilina), que atualmente é resistente à maioria dos antibióticos. Dentre as causas que levam à resistência está a prescrição inadequada e o mau uso dos antibióticos também pelo paciente. A última classe de antibióticos foi descrita em 1987, e até a última quarta-feira (07/01/2015), havia um vácuo na evolução e desenvolvimento de antibióticos diante à grande evolução das bactérias.
Um grupo de cientistas dos Estados Unidos descobriu uma molécula chamada teixobactina, produzida por uma bactéria do solo, a Elephteria terraeO estudo foi realizado em camundongos, e como publicado na revista Nature, os resultados são bons: houve eficácia do antibiótico e não desenvolvimento de resistência.
Entenda como o estudo foi realizado no esquema abaixo, da Folha de São Paulo:
 
Fonte: Folha de São Paulo
A teixobactina reage na produção de lipídeos pelas bactérias, o que afeta a sua parede celular. Esta mesma característica é encontrada na vancomicina, entretanto após 30 anos do início do seu uso, bactérias resistentes como os VRE (Enterococos resistentes a vancomicina) apareceram.
A OMS (Organização Mundial da Saúde) declarou uma crise global diante a grande resistência bacteriana, sobretudo algumas bactérias responsáveis pela tuberculose, que são resistentes a todas as classes de antibióticos. Sendo assim, a implantação de novas classes se faz extremamente necessária e urgente.
Os cientistas do estudo com a teixobactina esperam que em 10 anos o antibiótico possa estar disponível, e que os estudos em humanos sejam tão eficazes quanto em camundongos.

Fontes:
CDC
0 comentaram

terça-feira, 30 de dezembro de 2014


. .
Novo wallpaper!


Download: 1920x1080
0 comentaram

. .
Aos formandos de 2014!


0 comentaram

. .
Meu depoimento sobre a faculdade

O ano de 2014 foi, sem dúvidas, muito importante e especial. Pelo menos para mim e para a minha turma de formandos, da Universidade Paulista, de Campinas. Sim, acabou! Sim, somos biomédicos!
É tudo tão incrível e ao mesmo tempo assustador. Assustador no sentido de que estamos diante do novo, e agora com uma responsabilidade indiscutível nas mãos. A sensação é de que todo o tempo que reclamamos para que passasse rápido porque “não aguentávamos mais a pressão” realmente passou. E passou voando! Foram quatro anos cansativos, com muita pressão, muita correria (principalmente este último)... os mais intensos de todas as nossas vidas, creio eu. Foi um tempo de intensa aprendizagem, grandes e boas amizades, viagens... Certa vez escrevi aos calouros que a faculdade seria para eles uma das melhores fases de suas vidas. Hoje posso dizer com propriedade que realmente é.
O primeiro ano é sempre uma descoberta, e o ritmo começa a ficar mais intenso a cada dia “esfregando na nossa cara” que logo seremos profissionais, e que isso não é brincadeira (rsrs). Mas foi aí que o amor pela Biomedicina começou a ficar ainda maior e foi sendo lapidado...
Foi já no primeiro ano da faculdade, mais precisamente em maio de 2011, que nasceu o Biomedicina em Ação. A intenção era unir o meu gosto por escrever, com o amor pela Biomedicina, e de quebra, seria uma forma de estudar. Chamei o Jonatam Crispim (autor do blog) para vir nessa comigo, e para que levássemos à turma um apanhado de todo o conteúdo, e ajudássemos na hora de estudar. E por causa do blog, a minha vida na faculdade foi ainda melhor. Além de ampliar minha visão, tive a oportunidade de conhecer grandes nomes da Biomedicina, fazer bons amigos e parcerias. Logo chegou mais um colunista para o blog, o Élio Carvalho, que veio a contribuir positivamente para conteúdos antes não explorados.
Hoje sou muito feliz em dizer que sou colega de profissão de grandes biomédicos que sempre admirei muito e tive a oportunidade de conhecer, como o Dr. Jeffchandler, Dr. Roberto Figueiredo, o Brunno Câmara, e o Dr. Victor Proença.


Os anos seguintes da faculdade continuaram a proporcionar grandes experiências, como o XII Congresso Brasileiro e I Internacional de Biomedicina, em São Paulo, sem contar nos inúmeros cursos que tive a oportunidade de participar. O último deles, talvez o mais especial, foi o III Curso de Verão em Biologia Celular e do Desenvolvimento da USP, em São Paulo. Duas semanas incríveis! Preciso deixar registrado aqui o meu carinho pelos amigos que fiz durante este curso, e o conhecimento que levarei para toda a vida.


Muita gente me pergunta o que fazer para aproveitar bem a graduação, e eu sempre digo que é preciso fazer a diferença. Eu me orgulho de ter feito parte de uma turma que se fez ser notada. Fomos a primeira turma a criar eventos acadêmicos e minicursos para o curso de Biomedicina da Universidade, e inicialmente sem grande apoio da mesma.




E daí a faculdade foi preenchida também com monitorias, o estágio no Laboratório de Microbiologia do Departamento de Patologia Clínica da Unicamp e a iniciação científica no Laboratório de Bioenergética e Defesas Antioxidantes em Tripanosomatídeos do IB/Unicamp. E a comissão de formatura!!! É, arrumamos tempo para nos dedicarmos a isso também!  


Agradeço muito pelas conquistas e pelo aprendizado... mas principalmente agradeço à turma de 2011, aos amigos que se tornaram minha família... aos que se desesperaram, choraram, riram, abraçaram, e que hoje, junto comigo, são biomédicos competentes.


Este post foi mais um agradecimento e uma retrospectiva dos anos que vivi para tornar-me biomédica, e uma homenagem a minha turma (noturno e matutino). Vocês me proporcionaram quatro anos incríveis da minha vida, e deixo aqui um abraço a cada um de vocês, e meu desejo de que todos sintam-se realizados pessoal e profissionalmente.
É... acabou! O que eu sinto é que aprendi muito e estou pronta, mas ainda não sei nada. Isso faz sentido? Talvez faça, já que estou pronta para aprender ainda mais. Pronta para nunca mais parar de buscar o novo, para aprimorar o meu conhecimento e querer colocá-lo em prática.
 ----------------------------------------------------------------------------------------------------------
A todos os leitores do Biomedicina em Ação, principalmente àqueles que estão em dúvida em cursar esta faculdade, espero que este post possa lhes incentivar.
“Escolha um trabalho que você ame e não terás que trabalhar um único dia em sua vida”
1 comentaram
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...